segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

De se lhes tirar o chapéu!



Ontem, Portugal sagrou-se campeão europeu de ténis de mesa, ao vencer a Alemanha, na final, por 3-1. Triunfo muito saboroso, tanto mais que a Alemanha detinha o título desde 2007.
Ainda bem que Portugal passou a jogar ténis de mesa, porque um título europeu era impossível no tempo do ping-pong 

George Clooney: uma questão de bom gosto


Acabo de saber que George Clooney foi este fim de semana a Veneza para se casar. Eu nunca escolheria Veneza para casar, mas acho que George Clooney escolheu bem. Grandes acontecimentos, exigem bom gosto.

sexta-feira, 26 de Setembro de 2014

A verdade da mentira

Um advogado tinha 12 filhos. Precisava de sair da casa onde morava e de alugar outra, mas não conseguia por causa do montão de crianças. Quando dizia que tinha 12 filhos, ninguém queria alugar, pois temiam que a criançada iria destruir a casa. Não podia dizer que não tinha filhos, porque não podia mentir. É que os advogados não podem mentir!
Estava mesmo a desesperar, pois o prazo para mudar já estava quase no fim. Felizmente, porém, ocorreu-lhe uma ideia brilhante: mandou a mulher ir passear no cemitério com 11 filhos. Pegou no filho que sobrou e foi ver casas, juntamente com o agente da imobiliária. Gostou de uma e, quando o agente lhe perguntou quantos filhos tinha, respondeu que tinha 12. O agente indagou:
- Onde estão os outros?!
O advogado respondeu, com um ar muito triste:
- Estão todos no cemitério, mais a mãe.
E foi assim que conseguiu alugar uma casa sem mentir...
Moral da história:
Não é necessário mentir, basta escolher as palavras certas.

quinta-feira, 25 de Setembro de 2014

A Casa do Lago

Lago do Campo Grande ( foto da Net)

Uma greve de metro é sempre um grande transtorno para mim. Se é parcial, a coisa resolve-se com maior ou menor dificuldade mas, quando se estende por 24 horas, a solução é pegar no carro, ou meter os pés ao caminho.
Esta manhã soalheira estava amena e optei pela segunda hipótese. Saí de casa mais cedo do que o habitual e meti-me ao caminho.  Apoveitei para apreciar o Campo Grande renovado e exultei quando vi que o café da ilha estava aberto e havia barcos no lago. 
Estava hesitante entre fazer uma pausa para tomar o café ou prosseguir o caminho, quando ouvi uma voz familiar:
- Que fazes aqui?
Era a Teresa, ex- colega da faculdade de Direito e minha vizinha na casa do Rochedo.
Contei-lhe a minha hesitação e logo me desafiou para tomar um café  na Casa do Lago ( assim se chama agora o café). 
 Enquanto recordávamos tempos da faculdade e as inúmeras vezes que por ali parávamos  ao final da tarde, para dar uma volta de barco, fomos assaltados pela mesma ideia.  “E se fossemos dar uma volta, como nos velhos tempos?”.
Assim foi. Telefonámos para os nossos escritórios, cada um alegou o impedimento que lhe veio à cabeça e lá ficamos durante uma hora, tentando ver espelhadas na água as imagens da nossa juventude. Não as encontrámos, mas vivemos uma manhã diferente.
 Apesar de sermos vizinhos ocasionais, raras vezes  partilhamos momentos de lazer. Muito menos a sós.  Foi por isso uma manhã especial. Pusemos a conversa em dia e desfrutámos desse prazer que é não cumprir um dever. Como algumas vezes fazíamos, quando faltávamos às aulas para ir andar de barco no Campo Grande, ou apenas tomar um café e dar dois dedos de conversa.
Às vezes é preciso tão pouco para sermos felizes e nos sentirmos mais motivados para o trabalho…


quarta-feira, 24 de Setembro de 2014

Evaristo numa mercearia gourmet




O realizador Leonel Vieira vai fazer um remake de três filmes que foram grande sucesso do cinema português e todos os leitores do On the rocks  retêm certamente na memória : O Pátio das Cantigas, O Leão da Estrela e  A Canção de Lisboa
Informa o DN que  os três filmes serão exibidos em 2015, sendo da responsabilidade de Miguel Guilherme e César Mourão desempenhar os papéis de António Silva e Vasco Santana.
De acordo com declarações de Leonel Vieira ao DN as novas versões adaptam- se à Lisboa moderna. Assim, em “O Pátio das Cantigas”, Evaristo  ( António Silva/ Miguel Guilherme)será proprietário de uma mercearia gourmet e Narciso (Vasco Santana / César Mourão)um condutor de tuc-tuc, mas igualmente  boémio e mulherengo, como o original.
Não ouviremos certamente na nova  versão, a célebre frase “ Ó Evaristo, tens cá disto?”, mas espero que  argumentista e realizador consigam imprimir ao filme o mesmo bom humor que caracterizava o original.
À partida são três boas propostas cinéfilas para 2015. Aguardemos pela confirmação, com a certeza de que não será fácil descolar esses monstros sagrados do teatro e cinema português, que foram Vasco Santana e António Silva, das pesronagens originais.