sexta-feira, 4 de maio de 2012

Uma história sem final feliz?


(continuado daqui) - Conclusão


Aliviado, desaguou novamente no amplo espaço onde centenas de pessoas se continuavam a cruzar carregando nos seus carrinhos, como formiguinhas diligentes, os produtos essenciais e supérfluos que foram recolhendo e que meia dúzia de engarrafamentos depois iriam armazenar nas suas arcas congeladoras.
Entrou no seu carro a sério e dirigiu-se para a saída, mas ao atravessar uma lomba destinada a travar os ímpetos de alguns aceleras, um prego cravou-se num pneu. Rapidamente a fila de automóveis se avolumou atrás de si, enquanto um diligente funcionário se prontificava para o ajudar.
A impaciência de alguns mais apressados, traduziu-se em buzinadelas e alguns impropérios. Interrogou-se então o que levaria pessoas que tinham permanecido três ou quatro horas dentro do hipermercado sem um mínimo lamento, a manifestar-se tão exaltadas por uma demora que não seria superior a 15 minutos, mas não encontrou resposta adequada...
Quando finalmente recuperou a liberdade decidiu que o melhor era mesmo almoçar fora. Ao entrar no restaurante deu de caras com o sr.Casimiro, dono de uma pequena mercearia do seu bairro, a quem se apressou a contar a história. Solícito, o bom homem apenas respondeu:
-Deixe-me acabar de almoçar que eu já o avio do que precisar na minha loja.
- Mas então não está fechado aos domingos? – inquiriu
-Estou sim senhor, mas para clientes amigos, abro uma excepção! E a sua esposa era uma grande cliente... todos os sábados à tarde ia lá comprar as coisas para a semana, nunca me trocou por um hipermercado...
Frederico não respondeu, mas passou o fim de semana a matutar no que faria a mulher ao sábado à tarde, quando lhe dizia que tinha passado a tarde no hipermercado!
FIM

12 comentários:

  1. Se ele tivesse o hábito de a acompanhar às compras, já saberia se ela se aviava no hipermercado ou na mercearia da esquina...:)))

    ResponderEliminar
  2. Pelo vistos, estava na loja do senhor Casimiro... e nunca o trocou por um hipermercado! :)))

    ResponderEliminar
  3. Beeeeemmmmm!!!....e agora????....mau!mau!....

    ResponderEliminar
  4. Decididamente, já não existem histórias com finais felizes, como havia antigamente, Carlos.
    Um dia pra esquecer. Mas como? Ai, Frederico...mais te valia ter feito um ovo estrelado e ter comido em casa descansado. Um mal nunca vem só...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Não sei não, mas quase adivinho onde ela passaria as tardes ;) No cabeleireiro ... como eu :)

    Beijinho
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  6. kkkk continuo rindo Carlos
    O Frederico só se deu mal nessa empreitada de ir às compras.
    Em tempo de crise , mais confortável ficar de prosa numa mercearia com um tal Casimiro ,do que em hipermercado lotado de mulheres afoitas por preço baixo... rs
    abraço Carlos

    ResponderEliminar
  7. Coisas daqui e dali e uma confusão geral.
    Continuo sem entender como é possível uma promoção destas e ainda por cima no dia do trabalhador.
    A paciência das pessoas altera-se depois de tantos atropelos e já não resiste quando um triste coitado fica com um pneu furado a empatar o transito.

    ResponderEliminar
  8. Teria sido melhor que o Frederico tivesse ficado em casa, cuidando do jardim. naquele sábado à tarde. rs... Pobre homem, que dia mais constrangedor!...
    Também, que custava o homem acompanhar a mulher às compras, aos sábados à tarde? Saberia exatamente o que fazer quando ficasse só, não é? E evitaria tanta dúvida!!! rs...

    Beijos e bom final de semana.

    ResponderEliminar
  9. A amizade é a doce canção da vida é a poesia da eternidade.
    O Amigo é a outra metade da gente.
    O lado claro e melhor.
    Sempre que encontramos um amigo, encontramos um pouco mais de nós mesmos.
    O Amigo revela, desvenda, conforta.
    É uma porta sempre aberta em qualquer situação.
    Um lindo e abençoado final de semana .
    Um Domingo na paz e na luz..
    Beijos no coração com carinho.
    Evanir..

    ResponderEliminar
  10. Olá amigo Carlos!
    Às vezes - as tardes de sábado são melhores que a sexta feira à noite. Nelas se escondem outras compras que a noite denuncia.
    Mas, se a mulher parecia séria, é por que o era.
    Parabéns pelo teu bi-campeonato!
    Abraço

    ResponderEliminar