segunda-feira, 18 de junho de 2012

Sábado à tarde






Tarde de sábado, céu de um azul límpido sem mácula, temperatura amena, a pedir um agasalho.
Ali estava eu, deitado na espreguiçadeira da piscina do hotel, pedindo ao mar a devolução das palavras que se esgueiraram entre ondas de revolta, batendo na areia com desânimo.
Um livro à espera de ser lido, enquanto eu voava por Ushuaia em Janeiro, cigarrilha bailando-me entre os dedos, a compasso de pensamentos de aconchego.
No silêncio da tarde quieta, um sorriso assoma de um bikini. Um cigarro que se acende. Dois copos que se tocam numa saudação vaga: SKOL!
Quando olho aquele corpo nórdico quase nu, anunciando um Verão que ainda vem longe, desloco-me mais para norte e deixo-me ancorar nas Caraíbas.
A tarde escorre entre palavras, num diálogo em crescendo, percorrendo o Globo na narrativa de experiências vividas, apenas com o farol por testemunha.
Quando o sol começa a cair no horizonte, um arrepio percorre o corpo do bikini. Um braço estende-se para reconfortar o corpo frio. Percorre a pele sedosa, onde é perceptível o vigor próprio dos 30 anos. Um roupão de feltro vem aconchegar o corpo frio, provocando-lhe um estremecimento de conforto. Lábios que se tocam num beijo fugaz.
O sol desaparece no horizonte. Ela estende a mão, sem dizer uma palavra, deixando desprender um calor apelativo. Deixam a piscina enlaçados pela cintura. Lá dentro, os corpos vão envolver-se numa troca de calor.
Porque era sábado!

8 comentários:

  1. E que sábado! Demasiadamente idílico para ser real. Mas o irreal também o é e, se calhar, mais verdadeiro.

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  2. Era sábado, era janeiro mas com laivos de veraneio e, enfim, havia vontade de gerar (mais) calor... :)))

    ResponderEliminar
  3. Carlos, pensei que a música fosse outra, mas também gostei muito desta.:-))
    Aos sábados, também acontecem encontros próprios de Domingos à Tarde.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Que importa o dia da semana???

    Era Verão...

    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. CARLOS, esta crônica sugere o titulo do filme ¨Os Embalos de Sabado a Noite¨(John Travolta). De fato, sabado tem sempre um clima festivo, no ar.

    ResponderEliminar