quinta-feira, 12 de julho de 2012

(DES)encontros


Cumpro o ritual de tirar a última fotografia na Plaza de Mayo. Máquina aperrada e pronta a disparar, no último instante procuro um ângulo diferente e dou dois passos atrás. Embato num corpo e volto-me. Peço desculpa, recebo uma gargalhada de troco.Percebo que foi embate mútuo, porque ela também vinha a recuar, na procura de um melhor ângulo.
"Os turistas são um perigo!" arrisco.
Ri-se. Apresenta-se, Mari Carmen. É argentina, de Rosário, vive em Espanha desde 91, está pela primeira vez em Buenos Aires. Melhor ainda, chegou apenas na véspera.
Conto-lhe a minha relação com a Argentina, ela vai-me perguntando coisas sobre Buenos Aires. Olho para o relógio,explico que estou de partida, " Que lástima!"
Espera ai... onde vives em Espanha?
Perto de Huelva. Tenho um pequeno restaurante com os meus pais. Estende-me um cartão.
E tu onde vives? Em Lisboa, é perto... podes ir visitar-me... quando voltas? final do mês.
Nessa altura estarei longe. Que tal final de Junho? Combinado, telefona antes para te fazermos uma paella... combinadíssimo, que desfrutes... espero que sim, é a viagem da minha vida ( descubro-lhe um olhar molhado, adeus)...adeus, és simpático, até pareces argentino.
Quase corro até ao hotel que fica a escassas centenas de metros. Quando lá chego, avisto o carro de Laura a aproximar-se. Traz a minha afilhada. Hesito. Vou ficar mais uma semana, pelo menos?Não, desta vez não pode ser. Esta manhã o Pepe não se esqueceu da frase talismã (aqui.) Vou voltar.
Entro no carro reconfortado com a ideia. A Mercedes pergunta "porque te vás?"
"Que soy así, un poco loco!"- respondo-lhe, fingindo boa disposição. A Laura deixa escapar um sorriso forçado e diz: "quando voltares vou estar mais gorda".
O nó já se me atravessou na garganta e não respondo.
"Hasta la vista, mi Bunos Aires querida!"

5 comentários:

  1. Que narrativa fantástica! Adorei o enredo e as personagens!!!

    Bj

    ResponderEliminar
  2. Amo o ritmo da tua narrativa! É um prazer ler-te,
    Um grande bj

    ResponderEliminar
  3. Vamos lá nós tentar entender a vida!
    Se ela nos traz tantas vezes encontros, logo seguidos de desencontros!!
    Beijinho, Carlos e sê feliz!! Onde quer que te encontres.

    ResponderEliminar
  4. Encontros e despedidas, nem sempre ao nosso agrado... Mas e vida é assim, sempre cheia desses momentos!

    Bom regresso a casa, Carlos! :)

    ResponderEliminar
  5. Vale a pena viver a vida... e sorrir!

    ResponderEliminar