quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Naquela varanda virada para o mar...


Levantou-se a horas tardias, no rescaldo de uma noite prolongada. Foi até à varanda  e ficou , por uns momentos, a olhar o mar do Guincho e o céu azul  que, lá no horizonte, se unem num límpido amplexo.
Passeou o olhar pelas pessoas  passeando na praia, pelos corpos estendidos ao sol, pelas crianças em algazarra.
Respirou fundo a brisa marítima, para que  lhe enchesse os pulmões.
Depois, decidiu surpreendê-la preparando o pequeno almoço. Pôs  a mesa na varanda, espremeu as laranjas, preparou o cesto da fruta, descascou e partiu a manga  em fatias finas ( como ela lhe disse que gostava) preparou o chá e, quando a pressentiu atraída pelo cheiro das torradas, colocou no gira-discos  uma canção dos anos 80 que ela lhe confessara na véspera provocar-lhe pele de galinha.
Ela envolveu-o pela cintura, beijou-o na face,  pousou a cabeça no seu ombro, enalteceu num sussurro  a beleza da paisagem e a calmaria do final da manhã.
A música terminou, ele foi mudar o disco, mas optou por ligar a rádio, sintonizada na RFM:
“ Tempo previsto para hoje. Céu muito nublado no litoral Oeste, com possibilidades de chuviscos fracos”.
Ela estende-lhe uma torrada, convidando-o para voltar à varanda. Quando ouve as previsões o rosto abre-se-lhe num sorriso:
- E eu a pensar que estávamos em Portugal! Para onde me trouxeste durante a noite, que eu não me apercebi de nada?
Trocaram um olhar cúmplice. Ela puxou-o pela mão... e o chá e as torradas ficaram a arrefecer na varanda.

7 comentários:

  1. E, enquanto o chá e as torradas ficaram a arrefecer na varanda, espero que ele a tenha enlaçado num suave amplexo e lhe tenha sussurrado,num tom de voz encantadoramente brincalhão:
    - Durante a noite,levei-te à descoberta das maravilhas que existem para lá da linha do horizonte e tu...adoraste!
    Se não te apercebeste,foi porque logo depois adormeceste.:)))

    As recordações lindas que aquela janela virada para o mar,doGuincho, nos podem trazer de volta à memória, Carlos! :))

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. ...e foram até onde os levou o coração!

    Terno e intenso texto!


    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Que belo acordar, esse!
    Gostei muito de ler sobre essa varanda.
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Será que um dia vou acordar assim? Só mudava a chá para café bem forte se possível.

    Parabéns por este texto que partilhou.

    Muito Obrigada1

    um beij

    ResponderEliminar
  5. Mas as torradas nestas manhãs "devem" ficar arrefecendo ! Na vida só lembramos das torradas que se deixaram na varanda:).
    Vá escrevendo memórias suas ou imaginárias que sabe tão bem ler .

    ResponderEliminar