segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Praças da minha vida (5)


Hoje atravesso o Atlântico, cruzo o Equador e vou até Buenos Aires. A Plaza Dorrego (San Telmo) é de visita obrigatória, apesar de já não ter o mesmo fascínio de há 20 anos. Sempre que vou a Buenos Aires, uma manhã de domingo- que por vezes se prolonga até ao final do dia- é dedicada a esta Praça, onde me encontro com velhos amigos.
Mas como podem constatar se lerem este post, há outras razões que me levam a San Telmo. É lá que adquiro o elixir da juventude. Ou será o caminho da perdição? O leitor decida, depois de ler o post 

4 comentários:

  1. Não sabia que a "Rapariga das Violetas" te fazia ferver o sangue nas veias, Carlos! Mas olha que eu também a adorava!!

    Qual perdição, qual carapuça! O importante é a sensação de rejuvenescimento e o regresso aos tempos de juventude, que te provoca o som dos antigos tangos argentinos.

    Não se diz que recordar é viver? O que interessa é tudo aquilo que nos faça felizes. Ainda que não dances, observas e revives. Mas se dançasses era bem melhor. Eu adoro dançar. Tu é que deves pensar que tens pé de chumbo...insiste, Carlos, insiste...:-))

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Fazia, fazia... Aquilo já era uma premonição para o que viria a significar a Argentina para mim, anos mais tarde.
    Ah e sou pé de chumbo mesmo! Não adianta insistir

    ResponderEliminar