sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Tá bem, abelha...mas eu sou um grande nabo!



Não sou eu, nem esta é a minha casa. Roubei a foto na Internet. Se o dono a reclamar, devolvo.

Há tempos, passeando pela blogosfera, aportei a um post onde  a autora afirmava que entre as várias tarefas domésticas, a que fazia com menos custo era passar a ferro. Justificava essa opção dizendo ( por outras palavras) que durante esse tempo conversava com ela própria, encontrava soluções para problemas intrincados e punha a criatividade à solta.
Embrenhado em trabalhos complexos, com prazos de entrega, sem grande espaço para desenvolver a criatividade para além do enquadramento dos trabalhos que me pediram ( dois deles, ironicamente, sobre criatividade...) decidi passar a ferro algumas peças de roupa que as férias da empregada deixaram para altura mais oportuna ( a do seu regresso).
O resultado foi catastrófico. Em vez da criatividade, cresceu a fúria e em vez de resolver os meus problemas, arranjei uma série deles: uma camisa comprada em saldos há 15 dias e umas calças de linho trazidas de uma recente viagem à China diretamente da tábua de passar a ferro para o caixote do lixo. Condenação sumária, sem direito a pena suspensa - que se poderia traduzir numa dádiva para alguém necessitado quando me fartasse delas.
Depois do acto consumado fui ler os comentários ( eu próprio tinha lá deixado um...) e constatei que as comentadoras partilhavam a mesma opinião da Maria João.
Tirei duas lições desta história:
1) Passar a ferro não é mesmo tarefa de gajo;
2) Antes de tentar por em prática alguns conselhos que leio nos blogs , o melhor é pensar um bocadinho em vez de me armar em parvo!
Bom fim de semana!

9 comentários:

  1. Ahahah!
    Discordo. Passar a ferro é tanto de gajo como de senhora! : )
    Bom fim de semana.
    Ahahah!

    ResponderEliminar
  2. Só os burgueses (Spießbürger) é que passam a roupa a ferro!!

    ResponderEliminar
  3. E como o meu "Kraut" é um burguês, é ele que passa as camisas dele a ferro.

    ResponderEliminar
  4. Concordo com a Catarina: é tarefa pró menino e prá menina! :)))

    E tarefa chata, também! Não vejo que tenha qualquer correspondência com a criatividade, mas há gente para tudo... :)

    E por falar nisso, tenho ali uma pilha de roupa a olhar para mim! Mas ainda não me piscou o olho... :D

    ResponderEliminar
  5. Que é tarefa sem género, concordo!
    Que é tarefa agradável e que puxa à criatividade, já não tanto... criatividade só se for a dar desculpas a mim mesma para não ir buscar a tábua de engomar.... :)

    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  6. Tanto é tarefa de gaijo como de gaija!!!
    Também cortar a relva, limpar o telhado, as calhas e outras coisas mais não é de gaija!
    Pois é, mas eu faço isso tudo, adoro, mas também não gosto de passar a ferro, mas tem que ser, quando trabalhava tinha uma senhora a dias, mas desde que fiquei no desemprego dispensei a Senhora e faço eu.
    Bom fim de semana Carlos

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  7. Tenho amigos (homens) que partilham a opinião da Maria João, mas a mim passar roupa a ferro não me relaxa nada, por tanto, não é problema de sexo. O seu, Carlos, em todo caso, foi problema de ignorância, pois é preciso saber quais as temperaturas para cada prenda de roupa.

    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  8. Não sou gajo e detesto passar a ferro! :) Ou isso faz de mim uma não mulher ou então não tem género mesmo::))

    ResponderEliminar
  9. Pois olha que eu passo bem a ferro!
    E estou a falar a sério.

    ResponderEliminar