terça-feira, 25 de setembro de 2012

Da rua às passerelles: a revolução dos Verdes Anos



Eu sei que hoje não é o dia de escrever aqui, mas pedi uma licença especial ao Carlos, porque tinha de desabafar! Então não é que  a catraia me levou à certa?  No dia seguinte à fotografia dizia aos jornais:

“Aquela imagem é o que eu sou. Acredito que em breve vai haver uma mudança. Espiritual.”
E não é que hoje a sacaninha dá uma entrevista à VIP, com estas fotografias?

Agora a frase que encima a entrevista é :"Sinto que acordei o coração das pessoas"

Quando entrar na Casa dos Segredos ou no Morangos, irá dar uma entrevista com a frase:
"Sinto que vos enganei a todos, mas tratei da minha vidinha. Ciao!"
A catraia sabe-a toda, é o que é...

8 comentários:

  1. Não há pachorra... eu bem que achei que estávamos a ser lestos em criar imagens para a posteridade na manif... esquecendo-nos de que os tempos são outros no que diz respeito a ideias e ideais. Lousy.

    ResponderEliminar
  2. Será que a moça fez tudo de caso pensado, Brites? Ou o fotógrafo lhe deu a oportunidade de se tornar conhecida?
    Seja lá como for a mudança está a ser mais física do que espiritual!!
    Tenho de concordar contigo. Estas catraias de hoje sabem-na toda...Qual romantismo, qual carapuça! Verdes são as ideias de quem ainda usa de boa fé. Ora bolas!

    ResponderEliminar
  3. Bom eu sou um coração mole e sou bastante crédula... querem ver que me iludi...

    ResponderEliminar
  4. Amigo Carlos
    Tantas são as formas de levar a água ao moinho!
    A miúda até é gira, mas os meios para atingir os fins, são aquilo que já sabemos, quando se tem um palmo de cara e dez mil euros para um implante mamário.
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  5. Não faz mal. Já dei a minha opinião noutro lado: daqui a anos, ninguém se lembra da tonta da rapariga e a imagem continua a ser forte e marcante.

    ResponderEliminar
  6. Parece ter havido de facto uma mudança....

    Beijos

    ResponderEliminar