quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Regresso às aulas


A “Pública” lembrou-se de perguntar a jovens estrangeiros que vieram viver para Portugal, as diferenças que encontraram entre as escolas portuguesas e as dos seus países. Achei a ideia interessante e o resultado muito curioso. Respiguei alguns excertos para partilhar convosco:

O mais esquisito aqui é o horário das aulas… Quase não podes fazer mais nada, é como se a tua vida ficasse centrada na escola(16 anos, Brasil)
Na minha aldeia ter boas notas é fácil: compra-se uma prenda ao professor. Aqui temos mesmo de estudar(20 anos, Moldávia)
Os meninos daqui usam as calças descaídas, a mostrar o rabo. No início perguntava-me “ O que é isso são todos gay?” Não gosto dessa moda. Na Ucrânia, na escola, usamos todos fato, com a camisa por dentro das calças(13 anos, Ucrânia)
Os professores aqui são mais exigentes e eu não gosto de pessoas muito exigentes(14 anos, Itália)
No meu país, chumbar é uma falta de respeito pelos pais. Aqui, acho que os pais se estão nas tintas se os filhos chumbam.(17 anos, Moldávia)
Os professores cá têm mais paciência. Lá são mais rigorosos, zangam-se muito.( 16 anos, Bangladesh)
Lá, os alunos são mais bem comportados; não se viram para trás, estão quietinhos a olhar para o professor. Quando alguém entra, levantam-se todos da cadeira e quando sai fazemos o mesmo.Agora aqui, às vezes já me viro para trás durante as aulas para falar.(16 anos , Moldávia)
Há professores que não compreendem que há coisas que eles dizem que acham que são básicas, mas eu nunca aprendi. Há países que estão mais atrasados. Não tenho culpa.(16 anos, Guiné-Bissau)

Texto publicado no CR em 2009, que me pareceu oportuno recordar em mês de regresso às aulas

6 comentários:

  1. Não tenho outro meio de entrr em contacto consigo ,por issodeixo aqui o pedido para que hoje passe pelo outsider.Tudo de bom.Bem-aja

    ResponderEliminar
  2. A tua filial é mais acolhedora. Não me 'fecha'.

    Quanto aos testemunhos são impressionantes as diferenças.
    Penso que há uma palavra que resuma tudo: Educação.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Curiosamente, três anos passados, as opiniões dos jovens continuam a corresponder à actualidade, não generalizando, obviamente.
    Em termos comparativos com a Moldávia, diria que por cá e em tempos idos, havia professores que beneficiavam alunos, mediante generosas ofertas. Revoltante!
    Crónica muito oportuna, sim, Carlos. E muito interessante também.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Curioso, no mínimo! Embora não concorde que os pais se estão nas tintas para os chumbos dos filhos, de um modo geral... Mas fazer o quê? A época de grandes sovas e castigos para os cábulas já passou... ;)

    ResponderEliminar
  5. Apesar de tudo, a que mais me impressionou foi a da Guné-Bissau.

    ResponderEliminar
  6. Também acho a carga horária pesada em Portugal.

    Em Toronto, por exemplo e na maior parte das escolas (mais minuto menos minuto):

    Escola primária: das 8:35 às 15:35 ou das 9:00 às 15:00

    Secundárias: das 8:30 às 14:30

    ResponderEliminar