segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Baixaram o rating da socialite!


Estou que nem posso! Se o Carlos me aparecer à frente nem sei que lhe faço! Estava eu tão sossegada lá pela América do Sul, voando entre o Brasil e a Argentina, e deixei-me convencer pelas palavrinhas dengosas dele. Maldita hora em que regressei. Não, não tem nada a ver com o governo, não me preocupo com essas porcarias. Façam lá o que quiserem que a mim não me afecta nada…Conhecem algum político com sucesso no jet set? (O Santana Lopes ainda andou por lá, mas quando aparecia nas revistas era por mérito das companhias e não por ele.O quê? Quem foi que aí falou do Coelho? Não me façam desatar já aqui às bicadas! Aquilo é mais parolo do que o primo do Sebastião que anda no gamanço em Massamá...)
O que verdadeiramente me chateia e dá ganas de bater a asa daqui para fora, não tem nada a ver com política. É não ter nada para fazer! No Rochedo deito uma olhadela a uma revista cor de rosa de um casal deitado na areia, e aquilo parece uma revista gay, tanto é o jet set abichanado! Vou até à varanda do dr. Arménio – que noutros tempos era um local para recolher boas informações sobre o jet set, porque tinha muita variedade de revistas - e agora só lá vejo a Playboy que traz na capa uma gaja nua de quem nunca ouvi falar. Alguém me sabe dizer quem é a Marta Pereira? 
Outro dia  consegui entrar de penetra numa sala de cinema para ver o “Morangos com Açúcar” mas saí meia hora depois, porque aquilo parecia um bordel. À saída encontrei duas velhotas  a conversarem sobre o Renato Seabra que matou o Carlos Castro. Parece que o rapazito até o fez com boa intenção, porque queria salvar os americanos da SIDA, mas fez duas asneiras de uma assentada: descredibilizou o jet set nacional e matou a indústria cor de rosa.  Onde é que andam as Lili Caneças, as Cinha Jardim e todas as glamourosas deste país? Estarão na Casa dos Segredos, ou piraram-se todas para ao pé da Adriana Xavier, para aprenderem com ela como se chega ao jet set sem esforço? ( bem, talvez esteja a ser injusta...não sei se dar um beijo a um polícia durante uma manif não implica esforço...)
Quando regressei ao Rochedo para escrever a crónica lamentei-me ao Carlos por não ter assunto. Sabem o que é que ele me respondeu?
“ Tens razão, Brites, mas a culpa é das agências financeiras, que baixaram o rating do jet set português para jet quatro e meio. Daqui a nada, o nosso jet também fica ao nível do lixo!”
Olha a minha vida! No que eu me vim meter! Não tarda nada bazo daqui e o Carlos que se amanhe. Este país está mesmo uma pasmaceira…

6 comentários:

  1. rrrrss rrsss rrss

    beijinhos, Brites

    ResponderEliminar
  2. Pasmaceira é em todo lado, minha cara Brites!!!

    ResponderEliminar
  3. Jet quatro e meio e com muito boa vontade... :)))

    ResponderEliminar
  4. Não Brites, não batas a asa daqui pra fora. O jet set nacional é assim mesmo. Tanto se vê na abundância como de repente fica na penúria. Espera um pouco mais até a crise passar e vais ver as Bobone, as Caneças e as Jardim, aparecerem todas atrás do croquete.

    Se voares lá para a América do Sul, ficamos nós sem saber como consolar o Carlos e então é que isto fica uma pasmaceira.

    Tens de vir comigo ao meu salão. Aquilo é Holas e Caras por tudo quanto é mesa e mesinhas.
    Tem calma!

    Toma lá uma bicadinha e dá um beijo meu ao Carlos.




    ResponderEliminar