quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Menos um...


"Procurei no dicionário,
Com paciência e cuidado,
O real significado
Da palavra aniversário.
Aquele livro pesado, 
Mestre dos visionários,
"Pai dos burros" batizado,
Pareceu-me sectário,
Ao responder meu chamado.
Deveras decepcionado,
Joguei o meu dicionário
Na estante, empoeirado,
Para pregar, solitário,
O meu significado
Da palavra aniversário.
Diz assim, o verbete lendário,
Ontem, por mim criado:
"Aniversário: Espécie de relicário,
Muitíssimo bem guardado
Nas folhas do meu diário,
Dos versos que eu escrevi,
Com todo amor, e não li,
Durante o ano passado."
(Carlos Eduardo Drummond)

21 comentários:

  1. Fiquei um pouco confusa com este poema, pois estava convencida que o Carlos fazia anos em Novembro.

    ResponderEliminar
  2. Meu amigo, aqui lhe deixo um apertado abraço de parabéns com votos de um futuro mais feliz do que o passado.

    ResponderEliminar
  3. O meu "relicário" é um autêntico baú!!!

    Temos aniversariante!

    Tchim! Tchim!

    Um beijinho de parabéns!

    ResponderEliminar
  4. (Por falar em "Menos um") ahahah

    DIA DE ANOS

    Com que então caiu na asneira
    De fazer na 3ª-feira
    Ainda mais anos! Que tolo!
    Ainda se os desfizesse...
    Mas fazê-los não parece
    De quem tem muito miolo!

    Não sei quem foi que me disse
    Que fez a mesma tolice
    Aqui o ano passado...
    Agora o que vem, aposto,
    Como lhe tomou o gosto,
    Que faz o mesmo? Coitado!


    Não faça tal: porque os anos
    Que nos trazem? Desenganos
    Que fazem a gente velho:
    Faça outra coisa: que em suma
    Não fazer coisa nenhuma,
    Também lhe não aconselho.

    Mas anos, não caia nessa!
    Olhe que a gente começa
    Às vezes por brincadeira,
    Mas depois se se habitua,
    Já não tem vontade sua,
    E fá-los queira ou não queira!

    (João de Deus)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro este poema do nosso João de Deus, que até o sei de cor.

      Eliminar
    2. Muito obrigado por este poema, Rui, que traduz na perfeição o meu estado de alma em dias de aniversário. O meu amigo está sempre atento e é muito perspicaz :-)

      Eliminar
  5. Pois o Rui tirou-me o poema dos dedos!
    Mas eu não teria paciência para o escrever todo! :-))
    O Rui não quer que lhe falte nada!
    Menos um, mais um...o que é que interessa?
    Que seja com saúde e em boa companhia!

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. Muitos parabéns, Carlos!

    E que venham muitos mais anos cheios de saúde e alegria, sempre com a escrita em dia... Aqui, no outro canto e não só! Sem esquecer nunca de apontar a dedo esta camarilha que nos governa e tira do sério, com tanto dislate, compadrio e corrupção! Eles merecem isso e muito mais... :)

    Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Teté.
      Enquanto puder assim me manterei, apesar de cada vez mais acreditar que isto não se resolve com palavras nem gritos de revolta. Será preciso algo de mais drástico...

      Eliminar
  8. Amigo Carlos, fica contente, vive o presente!
    Já notaste como é bom ver o sol nascer?
    Por acaso já reparaste na beleza que há no ocaso? Claro que sim!
    Hoje, sentes-te pequenino e mimalho, por isso estás assim!

    Gostei muito do teu poema, mas o do Rui ( João de Deus) caiu como sopa no mel.

    Já que a Filial está virada para o meu tema predilecto, aqui fica o meu contributo, sob a égide de Carlos Drummond de Andrade.

    "Cortar o Tempo"

    Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
    a que se deu o nome de ano,
    foi um indivíduo genial.
    Industrializou a esperança,
    fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
    Doze meses dão para qualquer ser humano
    se cansar e entregar os pontos.
    Aí entra o milagre da renovação
    e tudo começa outra vez, com outro número
    e outra vontade de acreditar
    que daqui pra diante vai ser diferente...

    Beijinhos Carlos e mesmo que não gostes: PARABÉNS!!

    E até daqui a um ano, né? Um ano de cada vez!

    PS. Não te esqueças de passar pelo meu canto. eheheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita
      Renovo aqui os meus agradecimentos pela surpresa que me preparaste no teu blog e me deixou meio sem jeito...
      Eu gosto da vida, de desfrutar todas as belezas que a Natureza nos dá, mas detesto ver que em nome de um consumismo de desperdício se está a destruir a Natureza e a aumentar as desigualdades. Na verdade, ao ver o mundo em que vivo, não sei se não passaria bem sem ela...
      Beijinhos

      Eliminar
  9. Parabéns, Carlos. :) Mais um de sabedoria e boas escritas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Sun Iou Miou. Infelizmente a minha sabedoria parece caminhar no sentido inverso ao número de escritos que diariamente vou deixando aqui e na sede :-)

      Eliminar
  10. Parabéns, felicidades e aquele desejo enorme de que sua presença seja eternamente constante.
    P.S. Os brigadeiros deixei na portaria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Turmalina
      Vou já buscar os brigadeiros, antes que alguém na portaria os desvie :-)))

      Eliminar
  11. Um novo significado da palavra 'aniversário'.
    Um relicário com o qual não convivo em harmonia.
    Duma subjectividade que dói.

    beijinho

    ResponderEliminar