quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Conversas ao telemóvel

( No Metro)
-Mãe, venho das aulas, estou quase a chegar a casa.
- ...
-Sim, eu sei, estive a ouvir o relato durante as aulas. Parece que eles, depois de estarem a ganhar,puseram um autocarro em frente à baliza...
- ...
- Que queres? Obrigaste-me a prometer que ia às aulas e não ia ver o jogo, mas não te prometi que não ouvia o relato
-....
- Deixa de ser chata! Faz mas é um bom jantar que estou com fome e chateado por termos perdido
- ...
- Não, não fico. Depois do jantar vou ter com a Rita. Desliga lá e vai mas é fazer o jantar, porque não posso ficar à espera.
- ...
- Já te disse que estou com pressa, não disse?

5 comentários:

  1. Educação portuguesa!!!

    Se o meu filho Jochen falasse assim comigo, não só não tinha jantar, como tinha com ele uma conversa a sério, mas mesmo muito a sério.

    Não a juventude que tem culpa dum comportamento destes, mas sim, os pais, neste caso a mãe.

    A austuridade nunca fez mal a ninguém.

    ResponderEliminar
  2. A típica educação (de quem não entendeu ) o pós 25 de Abril.

    Em muitos casos, passou-se de 8 a 80.


    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Para ser franca, a maior parte dos adolescentes/jovens que conheço é bem capaz de fazer uma conversa dessas. A resposta das mães é que varia... ;)

    ResponderEliminar
  4. Cá para mim vinha ele de carrinho...
    respeitinho é bom e eu gosto!
    Recíproco, claro!

    ResponderEliminar
  5. O Pedro Coimbra é da velha guarda, Carlos.
    Uma conversa dessas de uma das minhas filhas (nunca acontecerá porque elas sabem onde está o risco que não se pisa) e havia m#$%^& da grossa.
    Não havia era jantar nem saída! :))

    ResponderEliminar