segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Pelos labirintos da saúde.



- Está, é do Instituto Ricardo Jorge?
- Sim, faça o favor de dizer…
- Queria marcar um exame de (…)
- Não precisa marcar. Apareça entre as 8 e 30 e as 10 da manhã
-Pode informar-me se tenho de ir em jejum?
-Isso não sei, o seu médico é que tem de lhe dizer
-Como? Mas costumam ser os laboratórios a dar essa informação…
- Mas eu não lhe sei dizer. Pergunte ao seu médico ou venha em jejum.……………………………………………………………………………
No dia seguinte, respeitando jejum e abstinência, na recepção do Instituto Ricardo Jorge
-Venho fazer este exame...
- Muito bem. Entre neste corredor, siga até ao fundo e aguarde um pouco.
Ao fundo do corredor, o espaço alarga-se numa sala ampla. Alguém entrega um formulário para preencher. Minutos depois chamam pelo número. A funcionária olha para a receita com ar de espanto e diz:
- Nós não fazemos esse exame aqui…
- Mas o médico disse-me que só aqui é que fazem esse exame.
- O médico deve estar enganado… aqui não fazemos isso.
Aproxima-se outra funcionária. Pega no papel, lê e diz:
- Vou perguntar lá para baixo. Talvez façam.
Minutos depois volta e informa:
-Sim, fazemos esse exame, mas tem de ir ao serviço de…
- E onde é?
- Não lhe sei explicar. Vou pedir a uma contínua para ver se vai lá consigo…
Aparece uma contínua que conduz a “vítima”. Ao chegar a umas escadas pára e dá o azimute:
- Desça as escadas, entre na porta à esquerda e quando vir um contínuo peça-lhe para abrir a porta.
O percurso inclui a passagem por um bar onde funcionárias tomam o pequeno almoço e discutem a telenovela da véspera. Finalmente o contínuo. Abre a porta, indica outro corredor externo e manda tocar a uma campainha numa porta a meio do corredor. Abrem a porta, uma funcionária simpática que já estava avisada da chegada preenche outro formulário, porque o preenchido no andar de cima não servia.
- Este exame não é comparticipado..
- Ai não? E quanto custa?
- Este é barato. Só custa 43 euros. Mas se não for conclusivo, pode acontecer que lhe mandem fazer outro que custa mais de 500 euros…
- O Serviço Nacional de Saúde está cada vez melhor, pelo que vejo.
- Pois, tem razão. Mas não vamos pensar no pior…
- Bem, para já, o pior é que estou em jejum…
- Mas podia ter comido...
- Quando telefonei para cá não me souberam dar essa informação. Pode dizer-me porquê?
- Porque não sabiam...
- E porque não sabiam?
-Às vezes acontece que as pessoas que atendem não sabem.
- Desculpe, mas isto aqui é o Instituto Ricardo Jorge, ou o Júlio de Matos?
- Pode ir com a minha colega ( sorriso condescendente…)
E lá se foi mais meio litro de sangue, que saiu das veias em esguicho, tal era a fúria!
(Alguém por aí encontrou o dinheiro dos meus impostos?)

12 comentários:

  1. Uma amostra do que é o nosso SNS...pior virá!

    Ainda ando combalida de uma hipoglicemia ,devida a má informação da enfermeira.

    É o que mais temo!

    Espero que já tenhas reposto o meio litro.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Carlos
    Infelizmente conheço bem este tipo de situações, e com tendência a aumentarem, existem funcionários que me dão a sensação de estarem a fazer um frete do caraças para estarem ali, esquecem-se que é graças aos nossos impostos que ainda têm um emprego e que não temos culpa pelos cortes que estão a levar tal como todos nós.
    Boa semana

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  3. Pior, Carlos, é que não é um caso pontual! Acontece todos os dias... :P

    E tanta gente desempregada muito mais competente, nem acende uma luzinha na cabeça desses funcionários?! :D

    ResponderEliminar
  4. Xiiii, desculpa Carlos, mas isto mais parece uma cena de loucos!
    Ou anedota! Jesus, quanta incompetência.
    Assim, tratar da saúde é o mesmo que perder-se num labirinto sem saida.
    Estou a ver que tenho tido muita sorte! Nos dois hospitais a que me tenho deslocado nestes últimos tempos, o de S. João por causa dos olhos e o de Penafiel onde estive internada aquando do enfarte, fui tratada "como uma princesa", no dizer da enfermeira Ana...perante o meu estado de pânico!
    Fiz todos os exames necessários, estive lá sete dias e não paguei um cêmtimo.
    Bem, o facto de ser diabética controlada também tem as suas vantagens! :-)

    ( Vais ver o dinheiro dos teus impostos foi aplicado no meu tratamento) lol

    Beijinho. Espero que não tenhas sido tu a vítima...

    ResponderEliminar
  5. Junto a minha fúria à sua: recebi ontem (eu, que tenho todos os impostos e afins pagos) um aviso de cobrança coerciva de 200 euros constantes dum processe de quem nunca ninguém me falou, pelo que fiquei na mesma ignorãncia.

    Relativamente a Catroga , melhor seria que fechasse a boca em voto de silêncio perpétuo.

    A RTP é um daqueles caos típicos deste conjunto de crápulas que nos saqueia.



    Um excelente dia, amigo meu.

    ResponderEliminar
  6. A falta de profissionalismo é uma coisa que me aflige. Mais ainda quando se trata de saúde. É mesmo uma coisa surreal essa que lhe aconteceu, mas infelizmente há coisas bizarras em todo o lado. A melhor que já testemunhei e em primeira mão foi no posto de saúde perto de casa. Têm serviço de urgência até às 20h. Apareci lá, aflita, às sete e pouco. Sala vazia, mas não fui atendida. Sabe porquê? porque não tinha senha de urgência...'então, mas se é uma urgência como é que eu tenho uma senha a priori?' 'Ah, tem de vir de manhã, para ter senha para a tarde'. 'mas repare que eu de manhã estava óptima, agora é que não estou, por isso a minha urgência é agora, não há doze horas atrás. Consegue perceber que eu não antevejo que vou ter uma situação de urgência antes de ela acontecer, correcto?'. 'Isso não sei, mas não há senha e o doutor não atende sem senha!'.
    Ainda bem que eu não estava a ter um enfarte!

    Por isso, Carlos, o meu conselho é que comece a pedir nomes e números de funcionário. Pode ser que o comecem a atender melhor. Isso e pedir para falar com o responsável também costuma resultar.
    Bjs. Espero que não tenha de dar mais 500€ para a caixa das almas :)

    ResponderEliminar
  7. Também ando a tentar encontrar o dinheiro dos meus impostos (e para o próximo ano ainda vou ter que procurar mais)... Se souber de alguma pista, aviso! ;)

    Beijo, boa semana

    ResponderEliminar
  8. Uma descrição assustadora do que nos espera...

    ResponderEliminar
  9. :-)

    Nop! Nem dos teus, nem dos meus, chiça!!

    ResponderEliminar