segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Amor e dedinhos de pé



Não, não vou escrever  sobre esse doce romance de Henrique  Senna Fernandes que Luís Filipe Rocha verteu para o cinema.
O meu propósito é discorrer sobre os relatos de  algumas mulheres que descrevem o martírio e tortura que é enfiar os delicados pezinhos em sapatos que lhes acrescentam alguns centímetros à altura. 
Quero dizer-vos, amigas leitoras lusas, que as americanas já descobriram a forma de se livrar desse incómodo, continuando a desfrutar do prazer de caminhar 10 centímetros acima do seu nível normal.
 Como?- perguntarão algumas leitoras entusiasmadas
Simples, minhas amigas. Cortando literalmente o mal pela raiz. Ou, dito por outras palavras, amputando ou encurtando o dedo mindinho, essa inutilidade anatómica que o Criador, desconhecendo os ditames da moda, acrescentou ao pé, com o intuito de nos dotar os membros superiores e inferiores, com um número igual de dedos. ( Confirma-se que a mania da igualdade e a utilização de folhas Excel, quando se trata de seres humanos, nunca dá bom resultado...)
A Associação Americana de Podologia garante que estas cirurgias só são efectuadas em pacientes que têm problemas de saúde. Acredito que falem verdade. Com efeito, só uma pessoa com problemas de saúde   (mental) pretende amputar um dedo, para poder andar com sapatos de tacão alto.


10 comentários:

  1. Também li essa notícia, Carlos, e até me arrepiei:)))))

    ResponderEliminar
  2. Desconhecia!

    Isto só prova que andam muitas criaturas de mente vazia à solta!

    Bom serão, meu caro amigo

    ResponderEliminar
  3. Há mulheres que perdem mesmo a cabeça por uns centímetros a mais !
    ... e depois ainda dizem, (para despistar) que o tamanho não conta ! eheh
    .

    ResponderEliminar
  4. Ahahah, são duas cretinices numa só: primeiro cortar os inúteis dedos mindinhos, para depois andar de andas... :)))

    Bom, passo! Só uso sapatos sem salto há muitos anos! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhe, os meus dedos mindinhos acabaram de me agradecer a dedicação que lhes tenho! :)))

      Eliminar
  5. Ai moda a quanto obrigas!!!

    Que horror!

    Beijos.



    ResponderEliminar
  6. Oh meu Deus, diz-me que isto não é verdade!!

    Bem, um sapatinho ou bota com um saltinho prái de sete centímetros ainda vou usando, embora cada vez menos! Agora preocupo-me mais com a minha comodidade do que com a elegância, mas amputar o meu rico dedinho do pé...nem morta!:)))


    Carlos, já estás mais animadito?...Vi-te tão tristinho lá no blog do Rui...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Einstein não dizia que havia duas coisas infinitas?
    O Universo e a estupidez humana?
    E que não tinha a certeza acerca da primeira?
    Olhem a prova!!

    ResponderEliminar
  8. Como rapariga assídua das alturas (desde que não sejam aquelas coisas horríveis de plataforma a que alguém convencionou chamar sapato e que pouco menos são do que uma traineira de arrasto em tamanho reduzido), falha-me a compreensão do problema das americanas com o dedo mindinho. Mais valia amputarem o dedo grande, que sempre eliminavam a hipótese de ter joanetes. (e como farão quando vão para a praia, ali a exibir um cotozinho, que coisa encantadora...)
    Mas pior do que essas são as chinesas, que fazem coisas inacreditáveis para ficar com mais uns cm de pernas. Ora veja: http://indianapublicmedia.org/amomentofscience/a-painful-way-to-grow-taller/
    Há gente muito bizarra neste mundo.

    ResponderEliminar
  9. E a “testa donut” que parece ser moda no Japão?

    ResponderEliminar