quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Pecadilhos consumistas


Não sou consumista. Nunca corro atrás das novidades, não faço fila para ser o primeiro a adquirir o último sucesso de um escritor ou de um músico, só compro roupa por necessidade, não compro por impulso excepto... quando entro numa livraria. Tenho a casa cheia de livros que ainda não li, não sei se algum dia chegarei a ler, mas raramente resisto a comprar um livro.
 Tenho, no entanto, os meus pecadilhos consumistas. Sou vidrado em relógios ( de pulso e de parede) e tarado por canetas. Não sou coleccionador- longe disso!- mas tenho uma razoável colecção de relógios, cuja maioria foi adquirida em mercados de rua na Tailândia. Ao olhar de não especialistas na matéria- que é o meu caso- estes relógios contrafeitos ombreiam condignamente com relógios de marcas conceituadas. Não valem nada, mas dão-me prazer à vista.
 Diferente é o caso das canetas, cuja "colecção" foi construída graças a amigos e familiares. Nunca comprei uma caneta de contrafação, por isso, a maioria das vezes limito-me a olhar para elas com ar embevecido, sem coragem para pagar umas largas centenas de euros por um objecto que quase já não uso. Ontem, estive quase a comprar uma belíssima Pelikan mas perguntei-me quantas vezes teria a oportunidade de a usar. Acabei por deixá-la na montra e quando regressei a casa escrevi este post directamente no computador. Ao contrário do que seria desejável, não fiquei satisfeito por ter resistido à tentação. Fiquei triste pelo facto de as canetas serem um objecto em vias de extinção.
 Vá, confessem lá... quais são os vossos pecadilhos consumistas?

14 comentários:

  1. Livros, que continuo a comprar como se tivesse ainda só 20 anos e sem pensar nos que tenho ainda para ler.

    Pedras em anéis ou pendentes. Assim como âmbar.

    Cds, porque adoro música.

    Écharpes, que são uma das minhas paixões.

    Não sou um caso dos piore3s, pois não? rrsss

    Um abraço, Carlos

    ResponderEliminar
  2. Revistas! Quantas mais melhor..:))) uma loucura, compro algumas mas fico muito além do que gostaria!!!
    Também adoro brincos.....mas esses então, só me resta ser comedida :)))
    xx

    ResponderEliminar
  3. Pois..., essa dos relógios de parede é que não tenho, mas se forem uns carrinhos miniatura à escala 1:43 ou uns comboiozinhos à escala N, pode dar-se um jeito, pois ainda há umas vagas no prateleirame cá de casa, pois as gavetas já estão a abarrotar com uns quilitos de pedras das mais variadas origens.
    Ele há vícios...

    ResponderEliminar
  4. Fui sempre muito controlada, muito "pés no chão".(Um defeito)!

    Tinha um pecadilho ( o mais carote)...perfumes bons!Tinha todos que me agradavam!

    O outro...lenços e écharpes de todos os tamanhos , feitios e cores...

    Livros...sirvo-me da biblioteca da minha irmã mais nova.
    Música...o meu sobrinho "saca-ma".


    Agora estou muito moderada. Compro um quando o outro acaba.

    Vou para o céu:):):)...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Sou um caso raro de anti-consumismo, estando quase a entrar no nível da sovinice!
    Mas os livros e as écharpes ainda me tentam de vez em quando...mas sempre dentro do barato!
    Sou sócia de duas bibliotecas e assim lá vou conseguindo ler alguns sem comprar!

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Pashmina, lenços de pescoço muito compridos.

    ResponderEliminar
  7. Praticamente só me deixo tentar por livros, marcadores de livros e canetas! Tanto os marcadores como as canetas dentro do baratinho, mas o mais colorido possível! :)

    Também gosto de lenços de pescoço, mas a minha coleção é quase toda de presentes que me foram dando ao longo dos anos! :D

    ResponderEliminar
  8. Tenho tantos, Carlos!
    Sou vaidoso, gosto de roupa.
    Gosto de livros, gosto de antiguidades.
    Mas, sobretudo, gosto de relógios.
    Tenho bastantes mas, ao contrário do Carlos, não compro um único que seja contrafacção.
    Prefiro juntar dinheiro e comprar the real thing.

    ResponderEliminar
  9. já fui mais consumista de livros, agora vou à biblioteca ou emprestam-me. de momento, estou numa de 'enquanto não ler estes que ainda tenho aqui em casa não compro'. todavia, tenho umas amostras na biblioteca da kobo que, mal acabe os 4 livros, comprarei logo os ebooks...
    outro vício: bonequitos com gatos, de vidro, de resina, de madeira, de porcelana, puzzles com gatos, almofadas com gatos, mas há uma loja do gato preto ao pé de casa e tudo e tento resistir, culpando a crise.
    um vício guloso: a barrita de chocolate preto com chili da hussel, minha mãe do céu, mas que vício, aquilo pica, mas depois agarra que é uma loucura.
    :D
    bjs.

    ResponderEliminar
  10. Eu ia responder livros, livros e livros ( e respondi!), mas olhando para os comentários dos amigos acima fico a pensar que, afinal, ter vontade de comprar livros não é um pecadilho consumista, é uma NECESSIDADE!

    ResponderEliminar
  11. Aposto que ninguém alguma vez iria adivinhar: livros :)

    ResponderEliminar
  12. Também sou fã de canetas... mas nem por isso tenho muitas. Tenho ainda a minha primeira caneta de tinta permanente, aquela que ganhei quando a professora da escola primária disse que eu estava pronta para passar do lápis à tinta. :)

    ResponderEliminar
  13. Olá, eu sou a Safira e sou uma bookhaholic. :) Não é original, mas é o que se consegue arranjar. Mas estou melhor. Não posso é entrar nas livrarias. Também comprava plantas e sementes por compulsão. Ando há uns meses a evitar o centro de jardinagem. Mas tenho de lá ir em breve, tenho uma camélia a repor (graças aos queridos cachorros). Compro sempre magnets para o frigorífico, e marcadores de livros.

    E comprava alguma roupa, mas isto foi até casar e me tornar dona de casa. Agora a única compra impulsiva que faço é um kilito de diospiros ou anonas, uma vez por outra ;) (estou a exagerar, claramente, mas manter uma casa para dois é bastante mais oneroso do que só para um...)

    E este seu post deu-me vontade de ir comprar...umas botas. Pronto, eu confesso, tenho paixão por botas :)

    ResponderEliminar
  14. Em tempos não resistia às "livrarias" do metro, ainda existem certo? Quando perdia a ligação, lá ia eu, e voltava sempre com um livro ou dois...
    Em tempos comprava cremes de um modo absurdo, ah este tem um cheirinho tão bom, ah este não sei quê, era o único vicio que a crise me ensinou a ver que de facto não precisava.

    Actualmente, postais, gosto de comprar postais, e não lhes resisto :)

    Roupa e sapatos gosto, tenho o meu quê de vaidade, mas nunca comprei mais do aquilo que precisava (claro que o conceito de precisar é relativo, o meu conceito de "precisar" é ter umas botas castanhas e umas pretas por exemplo ;) )



    ResponderEliminar