domingo, 24 de fevereiro de 2013

À mesa do café Florida

A nossa convidada de hoje é a Laura. Traz-nos uma estória de África, cheia de recordações que partilha connosco com a sensibilidade que lhe é habitual.
Depois de lerem a estória e os escritos nos guardanapos de papel, vão até ao blog dela. Se ao entrarem ela vos perguntar: Quem és, que fazes aqui?, respondam-lhe na caixa de comentários.
Pronto, agora leiam a estória que ela intitulou:

CAFÉS, JUVENTUDE E BRINCADEIRAS… PARVAS ( pequenas, em Latim)

Havia, em Sá da Bandeira, muitas ruas e avenidas. Mas havia UMA, que fazia as nossas delícias pelas caminhadas que dávamos… passeio da esquerda à ida, passeio da esquerda  à vinda.
Era, digamos a rua in da cidade. E nós, muito in também, passávamos muito direitas e despreocupadas, enquanto eles olhavam. Para dizer a verdade, era mais ao contrário!



Era então aqui que ficavam as  Lojas apelativas, as Pastelarias  mais doces e os Cafés bem frequentados! Era ver-nos sair do Liceu Diogo Cão e seguirmos em bandos até poisarmos neste ou naquele. E o poiso, claro, prendia-se com a frequência do momento. O mais famoso era este, o Café Flórida, embora também  o Combinado fosse uma alternativa agradável.



Foi lá que todos nos apaixonámos ( até morrermos de desespero)  e o confidenciámos, rimos e zangámos, discorremos sobre a beleza dos/das rivais, desfizemos os caracóis daquele e os daquela, criticámos ou elogiámos a mini saia da que passava ou opinámos sobre a cor do carro do outro.  Lá/aqui  tivemos conversas parvas, brincámos  tanto e sonhámos mais ainda!
Era aqui que eu a Clara e a América, as inseparáveis, fazíamos lanches a propósito de tudo e de nada… da positiva a OPAN, da negativa a Filosofia, do olhar do Jorgito e até por causa do surroso fato do nosso professor de Latim que, por andar cheio de nódoas, vulgarmente era designado por Cagadas.
Era aqui/lá que, quando entravamos, os empregados ‘amavelmente’ retiravam da mesa, onde nos sentávamos,  a caixinha dos guardanapos. O motivo, este que eu guardei até hoje.








39 comentários:


  1. Carlos, imagine que saí, por uns momentos, do Flórida e já me andam a dizer que me não encontraram.:))

    Fui buscar uns guardanapitos...

    Beijinho e se alguém vier, que se sente e espere e deixe rabiscos com a Bic, de preferência. Volto já!

    Laura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes uma coisa, Laura... o meu professor de Latim também era muito sebento e passava a aula de prisca na boca e a cinza a cair-lhe pelo fato cheio de nódoas. Chamavamos-lhe professsor Caganitas, mas todos reconhecíamos que era um excelente professor.
      Obrigado, uma vez mais, pela tua bela estória documentada com momentos de ternura.
      Beijo

      Eliminar

    2. Gostei de ter voltado ao Flórida, Carlos.

      Obrigada pelo carinho.

      Beijinho


      O meu Cagadas... costumávamos dizer que ele nas férias ficava, pelo menos, três dias fechado na pensão onde vivia, enquanto o fato ia para lavar. Eu tenho, não sei onde um retrato dele, feito por mim numa aula. Quando o encontrar...há de sair post :))


      Eliminar
  2. A Laura faz-nos recordar fases da vida por que quase todos nós passámos. Que saudades!
    Gostei de ler. : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Durante muitos anos guardei muitas recordações deste género, mas há uns anos, quando tive uma doença grave, decidi rasgar e queimar(quase) tudo, porque não queria que alguém os lesse depois de eu ter batido a bota. Hoje estou um bocadinho arrependido. Principalmente, depois deste post da Laura

      Eliminar
  3. Que memória bonita, bem contada e documentada!
    Jamais seria capaz de documentar assim uma memória...
    Tenho a mania de rasgar, queimar, fazer desaparecer... :-))

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não tenho essa mania mas, como já disse à Catarina, um dia também me desfiz das minhas memórias.
      Abraço

      Eliminar
  4. Que post maravilhoso feito da saudade dos tempos que já não voltam.

    Como é agradável e ternurento recordar belos momentos e inesquecíveis episódios, locais, sentimentos, amigos...

    Os pormenores são deliciosos, a alcunha do professor de Latim, os lanchinhos a propósito de tudo e de nada, o cuidado dos empregados em retirarem a caixinha dos guardanapos quando chegava o grupinho...

    Parabéns à Laura e ao Carlos.

    Beijinhos para os dois

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parabéns a mim porquê Tétis? Fui apenas o amplificador destes belos momentos da Laura que, de certeza, nos fez recordar também momentos vividos por cada um de nós.
      Beijinho

      Eliminar
  5. Sempre interessantes interessantes estas idas ao passado, estes reencontros com o que fomos, antes do que somos.


    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Laura mostrou-nos que vale a pena não rasgar nem queimar o passado. Há momentos que vale a pena recordar com documentos que nos ajudam a reviver melhor algumas situações.
      Beijinho

      Eliminar
  6. Dizem que Sá da Bandeira, hoje Lubango, está muito conservada. Talvez a Flórida ainda lá continue... Quem sabe?
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez a Laura saiba responder a essa pergunta...
      Beijinho

      Eliminar
  7. Adoro os teus posts !À mesa do café".

    São deliciosas recordações...retalhos inesquecíveis da vida!

    Não conheço Sá da Bandeira, porque me recusei a ir interna para as freiras , quando frequentava o meu 6-º ano, esperando pelo curso de Geográficas. Sempre pensei que o dito curso viesse para Luanda. Não! Foi para o sul...Sá da Bandeira. Ir interna é que não! Desisti e fui para o magistério, em Luanda!

    P.S. Carlos, não tens que pedir desculpa. Disse aquilo na brincadeira. Acontece a qualquer um. Eu também tenho sempre posts agendados.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao contrário da Laura, não deves ter boas memórias de Sá da Bandeira ( apesar de não conheceres a cidade)
      Estes posts só são possíveis graças à generosidade de quem me visita e decidiu partilhar connosco estórias de vida. Estou muito grato a todos
      Eu sei que estavas a brincar :-)
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Gostei muito desta história e das fotografias, com imagens de como seria Sá da Bandeira e dos famosos guardanapos. Fiquei com pena de não ter tido um café com amigas e guardanapos escritos.
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas teve outras experiências bem agradáveis, como já nos contou no último domingo!
      Beijinho

      Eliminar
  9. Às vezes - cortar com o passado é também cortar com o futuro.
    Adoro as recordações ou não fosse eu um saudosista nato.
    Fez bem a Laura em guardar estes retalhos da vida, umas vezes aos pedaços, outras em farrapos de saudade.
    Beijinho à Laura e abraço ao Carlos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também sou saudosista, embora por vezes preferisse não o ser, Kim
      Abraço

      Eliminar
  10. Gostei imenso das memórias da Laura, à mesa do café Flórida ou de outros das redondezas. Muito bem documentadas, com guardanapos e escritos desses tempos... e a saudade inerente a uma juventude despreocupada! :)

    Beijinhos para ambos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Documentos que nos ajudam a reconstruir momentos do passado. Como já escrrvi em resposta a um outro comentário, por vezes arrependo-me de ter destruído alguns desses documentos (:-
      Beijinhos

      Eliminar
  11. Que bom que ainda cheguei a tempo deste café... adorei as recordações da Laura. Eu não tenho escritos em guardanapos de papel, mas ainda tenho cadernos com conversas trocadas nas aulas com as minhas amigas e inscritas nas contracapas ou em cantos de folhas... :)

    ResponderEliminar
  12. Que bom que ainda cheguei a tempo deste café... adorei as recordações da Laura. Eu não tenho escritos em guardanapos de papel, mas ainda tenho cadernos com conversas trocadas nas aulas com as minhas amigas e inscritas nas contracapas ou em cantos de folhas... :)

    ResponderEliminar
  13. papel mais do que bem aproveitado...

    um cafezinho revigorante para a noitada de Óscares :)

    ResponderEliminar
  14. Bem aproveitado e bem partilhado. Quanto à noite dos Oscares, é que não sei, não...

    ResponderEliminar


  15. Não gostava de caracóis, mas fazia mises: contradições, rrss

    Nem imaginas como tenho pena de não conhecer África, quer dizer, eu visitei Cabo Verde e Egipto...

    Beijinhos e boa semana, com poupança de guardanapos, rrsss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também conheço África muito mal e das nossas ex-colónias, apenas Cabo Verde e uma pitada de Moçambique. Não podemos conhecer tudo...
      Boa semana amiga ( com ou sem guardanapos...)

      Eliminar
  16. Apetece comentar - "I used to live in Africa"
    Aquele abraço e votos de boa semana!!

    ResponderEliminar


  17. A todos os que estiveram comigo e com o Carlos, ontem aqui numa mesa do Flórida, agradeço as palavras lindas que me deixaram.

    Muitas vezes, penso que acumulo coisas e coisinhas e, também muitas vezes, me apetece deitar tudo fora. Mas não tenho coragem... Se o fizesse, perderia sinais de mim.

    Carlos, não me preocupa nada que a minha filha um dia encontre estas e outras memórias e as classifique como ridículas.Foram os meus degraus...

    Beijinhos para todos e bem hajam!

    Laura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que devias ser tu a fechar, Laura, mas não resisto a dizer-te: fazes muito bem em não te preocupar.
      Mais uma vez, muito obrigado pela tarde que nos proporcionaste
      Beijos

      Eliminar
  18. hola Laura,

    gosto muito do cafe.

    ES BuENO recordar los momentos pasados que nos ayudan a vivir y nos dan alegrias en el presente actual que nos lo pone muy dificil en este mundo donde existe el tiempo muy acelerado y no da para parar y recordar...

    feliz dia
    beijos na tua alma

    ResponderEliminar
  19. Peço desculpa à Laura e ao Carlos por chegar à Rua dos Cafés um dia mais tarde, mas houve problemas à partida no aeroporto de Düsseldorf por causa da neve.

    Felizmente, que ainda cheguei a tempo para ler esta história maravilhosa e o seu guardanapo. ADOREI!!!

    Parabéns à Laura, amanhã vou visitar o blogue dela, hoje ainda estou um tanto cansada da viagem (noitada).

    Agradeço também ao Carlos por nos dar duas oportunidades:
    uma é de lermos aqui excelentes histórias;
    a outra é podermos participar nestas conversas de domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tem nada de que pedir desculpa, minha amiga. Chega sempre a tempo quem vem por bem.
      Mais uma vez digo que o meu único mérito foi ter lançado a iniciativa.O essencial são as estórias que nos têm permitido passar bons momentos nas tardes de domingo.
      Assim que puder vá visitar a Laura. Tenho a certeza que se vai tornar cliente assídua.

      Eliminar
  20. Vindo da amiga Laura, não é de admirar a delicadeza, cuidado e carinho com que nos colocou a todos à mesa do café Flórida.

    Parabéns e beijinhos minha amiga.

    Beijinhos ao amigo Carlos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é realmente de admirar, amiga Fê, mas foi de uma generosidade imensa a Laura, ao partilhar connosco estes belos momentos.
      Beijinhos

      Eliminar
  21. Que história deliciosa :) Eu também guardo coisas estranhas :p Também tenho guardanapos com poemas e ditos, e brincadeiras... E coisas assim, acho realmente muito bonito!

    Beijinhos e obrigado Laura pela partilha!

    ResponderEliminar