sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Provérbios do mundo (7)

Lembrei-me de publicar este post, a propósito da conversa na Rua dos Cafés do próximo domingo. A estória será contada pela São e, como poderão comprovar, tem bastante a ver com este provérbio. Pelo menos é o que eu penso, mas vocês confirmarão ( ou não...) no próximo domingo.
Até lá, e gozem bem o sábado que se anuncia de sol.

13 comentários:

  1. Automóveis e uma malinha no outsider para si ;)Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  2. Aguçou a curiosidade para a próxima crónica:)

    Um óptimo fim de semana!*

    ResponderEliminar
  3. Concordo: a teoria é eficaz e indispensável...mas o exemplo maeca mais.

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. A mim também me aguçou a curiosidade para a próxima conversa de café, desta vez na companhia da São.

    Antes de lhe mandar a minha história (que desejo que isso aconteça em breve, pois em Fevereiro adoeço sempre) quero avisá-lo que não há conversa, o episódio passa-se num café, mas ninguém diz nada, só alguamas gargalhadas e sorrisos disfarçados.

    Aqui há chuva, chuva, chuva!!!

    ResponderEliminar
  5. Carlosamigo

    Como podes ver, voltei do pesadelo da depressão bipolar desde Maio do ano passado até há 12 dias. Espero que isto se mantenha direitinho.

    Mas ainda não sou de muitas conversas; depois, falamos. E vivam os nossos amigos e benfeitores Silva de Belém, Coelho dos passos perdidos e Gaspar gatuno procurado pela polícia... do Burundi. Cá somos uns merdas. Falta-nos um Buiça éoké

    Abrçs

    ResponderEliminar
  6. Então sábado cá estaremos todos na amena cavaqueira domingueira para ler a estória da São! :)

    E por falar em provérbios, a minha avó costumava dizer que "não há sábado sem sol, domingo sem missa e segunda sem preguiça". Também tem tudo a ver com o solzinho que se antecipa apara sábado, não?!? :D

    ResponderEliminar
  7. E que venha o calor.
    De frio já estou pelos cabelos.
    Tenho de ver se emigro para Sul, como as aves...

    beijinho

    O provérbio aplica-se tanto, especialmente à educação.

    ResponderEliminar
  8. Teoria, exemplo e prática têm que ser aliadas.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  9. Vou ficar à espera!
    Os Provérbios teem uma razão de ser!
    bom fim de semana Carlos com solinho de preferência, mas aqui chove e faz vento.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  10. Carlos,

    estive a reler atentamente o post anterior referente ao Tony Carreira, como me pediste, e vejo que consolidei a minha opinião baseada nesta tua frase:

    "Dei comigo a matutar no assunto. Seria preconceito meu detestar Tony Carreira?"

    Logo vi que eu não poderia ter confundido não gostar de ouvir alguém cantar, com o não gostar da pessoa devido a esse facto.

    Mas isso é coisa de somenos importância, Carlos! O importante é que eu gosto de ti, e se tu gostares um bocadinho de mim fica tudo equilibrado, na mesma!!:-))

    Quanto ao provérbio, não há dúvida que a teoria ou conselhos, são essenciais no ensino. Quer seja educacional, quer seja na orientação da vida, mas teoria sem exemplos faz o ensino ficar não só lento, como estéril e ineficaz.
    Não é em vão que o povo é sábio!

    Beijinhos!




    ResponderEliminar
  11. Reitero, Carlos, que o café aos domingos foi uma excelente ideia!

    São, ficarei atenta à tua estória!

    O povo é sábio mas falha às vezes. Teté, "não há sábado sem sol, domingo sem missa e segunda sem preguiça" não é aplicável por aqui com muita pena minha! Refiro-me ao sábado! É certo que ainda são 9 h mas o céu está tão carregado de nuvens que o sol não se vai esfoçar em desviá-las hoje.

    A propósito do comentário da Janita, veja lá, Carlos, o que o seu post sobre o Tony Carreira suscitou. Duas pesquisas. A segunda mais pormenorizada que a primeira que me deu a conhecer que o dito cantor romântico já ganhou uma série de discos de ouro e platina, a TVI considerou-o a melhor interpretação masculina, talvez de todos os tempos, quem sabe!, que esgota lotações e que já deu dois concertos no Olympia! E, evidentemente, já ouvi “A vida que eu escolhi”, “O homem que sou”, “Adeus amigo” e mais umas quantas. : )))

    Quando saí do cinema no outro dia depois de ter visto “O Quarteto”, vim para casa e comecei a ouvir Rigoletto de Verdi que não ouvia há bastante tempo. Há que haver igualmente variedade musical nas nossas vidas! : )))

    ResponderEliminar
  12. "Como um pêro podre" é o título da minha história verdadeira para a sua rubrica "Conversas nas Ruas dos Cafés", que acabo de lhe enviar por @-mail com a respectiva fotografia.

    É como diz a Catarina, o café aos domingos foi/é uma excelente ideia, e estou muito satisfeita em participar.

    Desejo-lhe um domingo sem chuva, sem deusa, sem comentador idioso.

    ResponderEliminar