domingo, 17 de março de 2013

À mesa do café...

O convidado de hoje é reincidente e não precisa de apresentações. É o Kim! Depois de uma estória passada em Paris, de que todos certamente se recordam, enviou agora esta que desde já lhe agradeço. Aviso, desde já, que  não é recomendável a pessoas sensíveis...!
Depois de recompostos vão ao blog dele, porque está lá uma outra história magnífica, tendo como protgonista Júlio Amaro que, garanto-vos eu que já a li, é de ir às lágrimas!

Foi assim, mais ou menos nesta figura, que um dia entrei com o meu grupo de amigos na Cervejaria Algo – na Av de Roma, em Lisboa e perguntei ao empregado, se tinha pudins em copo de alumínio, já que esta era uma prática corrente do meu grupo.
Este respondeu que sim. Mediante tal constatação, disse-lhe para trazer todos os pudins que tivesse.
Eram p’raí uns cinquenta – os pudins. Uns seis ou sete - os amigos.
A brincadeira era entornar o pudim no prato e depois chupá-lo inteiro, sem o estragar.
Depois de chupado, tinha de ser vomitado inteirinho no prato e voltar a ser chupado.
Ganhava quem chupasse mais pudins e que mais vezes o vomitasse inteiro.
O Gigi estava a ganhar. Já tinha comido e vomitado o pudim vinte e sete vezes. Mas … descuidou-se e quando olhou para o lado, o Mula, numa voracidade e rapidez felina, chupou-lhe o pudim, já tantas vezes chupado e vomitado, e comeu-o.
O Gigi perdeu e teve de pagar a rodada, de cinquenta pudins.
O ano passado (2012) voltei lá e o restaurante ainda existe, apesar de já não ter o mesmo aspecto, e … questionados os presentes, não havia ninguém que se lembrasse deste episódio.

16 comentários:

  1. Doidos! : )
    Ia tomar o pequeno-almoço! : )))

    ResponderEliminar
  2. Isto não é uma imagem muito simpática para o lanche ...

    Aposto que os clientes fugiam quando confrontados com a cena...

    Bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  3. Esqueci-me de dizer o seguinte:
    Na realidade não era assim tão nojento, pois o pudim era chupado e depois voltava-se a colocá-lo inteirinho num prato, para depois voltar a ser chupado, e assim sucessivamente.
    Pelos vistos o Ricardo Araújo Pereira, aqui na foto, deve ter aprendido connosco.
    Desculpem lá o vómito, mas quem é que não fez nenhuma javardice na vida?

    ResponderEliminar
  4. Se até as abelhas nos regurgitam o mel, fazer o que?
    Vai ver, ficavam menos enjoativos!


    ResponderEliminar
  5. Pois... até ler esta história pensava que era só coisa do RAP :)

    ResponderEliminar
  6. Credo! Também julgava que era apenas ideia do RAP, mas quem sabe se em miúdo não viu a cena na tal cervejaria?!? :)))

    Beijocas a ambos!

    ResponderEliminar
  7. Fiquei impressionada quando vi o vídeo do Ricardo Araújo Pereira a chupar pudins...Imagino que fosse assim parecido :)

    ResponderEliminar
  8. Eu já acho uma extravagância chupar e engolir o pudim mas o que mais me intriga é como se consegue vomitá-lo interiro :)))
    xx

    ResponderEliminar
  9. Ninguém se lembrava??
    Terão tido uma síncope colectiva depois deste episódio?
    É que este é dos inesquecíveis!!! :))

    ResponderEliminar
  10. Ontem estive toda a tarde ocupada com o Hitch e à noite com o Willi (Shakespeare) que não tive tempo de vir até aqui vomitar pudins.

    Quando li que esta história não é para pessoas sensíveis, pensei que o Quim tinha enforcado algum coelho, mas felizmente não.

    Gostei mais da história de Paris, mesmo assim, quero agradecer ao Kim por esta conversa tão doce, espero não deixar de comer o meu pudim, quando me encontro em Portugal.

    ResponderEliminar
  11. ahahah... Parece-me que durante uns tempos não vou comer pudim ! ehehehehe

    Um abraço ao Kim ! rsrs
    .

    ResponderEliminar
  12. Que horror!!!

    Tinha que ser brincadeira de rapazes!

    Estou para aqui a imaginar como se chupa um pudim e volta a ficar direitinho!!!

    Para o vomitar punham os dedos na garganta???

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  13. Este post quase que devia levar com bolinha vermelha com tanto chupar e voltar a colocar inteiro no prato :))) Mas que me desmanchei a rir com tal relato isso não tive como evitar, pergunto-me como é que há quem se lembre destas brincadeiras!

    ResponderEliminar
  14. Que horror, Carlos!!! Se bem que estas apostas entre amigos não sejam novidade para mim, nem para ninguém. Há um mangas cá em Leiria que ganhava tudo quanto era aposta a engolir pasteis de nata. Só não sei se também mamava os vomitados... Blheque!!!!

    ResponderEliminar
  15. Achei super original!!!E não vejo problema em cada um cuspindo seu próprio pudim.Só queria compreender como o pudim de leite fica inteiro depois de 27 chupadas.Se fosse de pão seria mais fácil de entender!

    ResponderEliminar