segunda-feira, 1 de abril de 2013

Os meus pecados (7)


Pão de Ló de Margaride

Este é o verdadeiro pão de ló. Húmido, mas sem ovos moles a estragar-lhe a textura e adoçar o paladar. Partido à mão como mandam as regras e, quando começa e secar,  barrado com queijo da serra, depois de uma breve passagem pelo forno, mas sem tostar. Hmmmmm! Que doce pecado da gula este! 

15 comentários:

  1. Verdade, Carlos ! Morei lá ao lado durante 4 anos ! :)) Aprendi uma coisa : ia lá buscá-lo acabado de sair do forno ; recomendavam-me : não o deixe constipar ! ... quer dizer que não devia ser sujeito a diferenças de temperatura e muito menos a aragem, mesmo depois de arrefecer ! :)))
    .

    ResponderEliminar
  2. Esse não conheço, mas lambo-me com o pão-de-ló de Ovar! E na minha infãncia era o pão-de-ló de Alfeizerão, nem sei se ainda existe!
    Vou tentar provar o de Margaride:)))))

    ResponderEliminar
  3. Parece muito bom e com poucas calorias :)

    ResponderEliminar
  4. Pois eu passo o pão de ló, desse ou de outros, mas aceito o queijo da serra... :)))

    Beijocas!

    ResponderEliminar

  5. Que não havia Páscoa sem ele... acompanhando com um queijo da Serra a espreguiçar-se pelo prato...

    O pecado foi teu, Carlos, e a dobrar, porque me fizeste lembrar dele. :))

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  6. Pecados que sabem tão bem!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Não conheço este mas gosto muito do de Alfeizerão.
    O Carlos é um perito na matéria!!!!

    ResponderEliminar
  8. Essa do pão de ló com queijo da serra é que eu desconhecia... terei de experimentar um dia destes :)

    ResponderEliminar
  9. Fiz muito pão-de-ló deste nas formas de barro forradas com papel principe, no forno de lenha tradicional, de casa da minha mãe. Um forno exterior comum a todas as casas em Amarante e onde se assa o anho do almoço de Páscoa. Este ano o pão-de-ló foi comprado e comeu-se, ao lanche depois da vistita pascal, com presunto o doce e o salgado casam bem, principalmente com um copo de vinho fino (Porto)

    ResponderEliminar
  10. Cá em casa há quem coma com manteiga...com queijo ainda não experimentou, mas vou dizer-lhe...

    ResponderEliminar
  11. Um pecado perdoado!
    Com queijo da serra como qualquer coisa sem pecado nem esforço!
    Boa semana Carlos

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  12. Porra, pá!
    Agora estou cheio de fome.
    Vou comer!

    ResponderEliminar
  13. Curioso este post...
    Ainda neste Domingo de Páscoa falei sobre o Pão de Ló de Margaride e houve quem tivesse ficado escandalizado quando eu contei que é costume parti-lo à mão!
    Já há muito que não passo por Felgueiras mas... seja ou não de Margaride, para me saber bem o pão de ló tem de ser efectivamente partido e comido à mão!

    Gostei!
    (^^)

    ResponderEliminar
  14. hum... férias de natal em guimarães, hum, pão de ló de margaride, hum... engordei.... e exacto, com queijo depois, tão bom!

    ResponderEliminar
  15. Nem a propósito! Ainda hoje perguntei a uma colega minha se o marido, nascido e criado no Porto, conhecia este costume (bizarro, acrescentei) de partir o pao de ló à mão... isto porque a minha família de Mindelo veio passar a Páscoa connosco e quase tiveram uma apoplexia quando alguém pegou na faca para cortar o dito pão de ló que nos trouxeram. Achei que era idiosincrasia deles, por ignorância, lá está. Agora já sei que é mesmo assim.
    Beijinhos
    PS: mesmo de dieta, provei o dito. É bom, sim senhora! :)

    ResponderEliminar