quarta-feira, 17 de abril de 2013

Se queres conhecer o vilão...


( ou, parafraseando Gasset, cada um é a sua circunstância)

Maria de Lurdes viajava sempre de metro, porque tinha estação à porta de casa e à porta do local de trabalho.
Não mudou de casa, nem de emprego, mas agora faz exactamente o mesmo percurso conduzindo o seu automóvel.
O que mudou?- perguntam alguns leitores.
Não, não foi nenhum problema de saúde.  Também não mudou de horário, embora agora chegue mais tarde. Apenas mudou a sua circunstância.
Maria de Lurdes foi promovida em Fevereiro. Agora é  directora e (digo eu, à falta de explicação plausível…) não parece bem chegar de metro  ao trabalho. Director(a) que se preze tem de andar de cu tremido. De preferência com motorista e carro pago pelos contribuintes ( o que ainda não é o caso).
Há pequenos pormenores que definem as pessoas, não vos parece?

8 comentários:

  1. Complexos de "superioridade", arrogância, presunção!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Essas situações são muito comuns nesta parvoeira de cidade onde moro. Como sou muito lisboeta, e porque nunca me habituei a conduzir depois de tirar a carta, andei sempre de autocarro de casa para a escola. Era das poucas pessoas que chegava à escola a pé e por isso era considerada ... diferente... Mas fui das poucas pessoas que desempenhou todos os cargos de gestão e de administração da escola... after all... Cambada de pedantes!

    ResponderEliminar
  3. Muito português...lamentavelmente (embora eu não goste de generalizar). Estou curiosa para ver a anunciada reportagem da Sic, que julgo vai para o ar amanhã, comparando hábitos de cá e de lá fora...

    ResponderEliminar
  4. E quantas Marias de Lurdes há por este país fora? Com ou sem promoção? É que mostrar o carro (ou o carrão) faz bem ao ego mesquinho e consumista de muita gente... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  5. Pormenores de pura arrogância, a mania das superioridade, como dizia o meu pai, "nem lhe cabe um feijão frade no cu"

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  6. Um tique que aqui deixámos em toda a sua plenitude, Carlos.
    O que esta malta gosta de uma carro oficial!!

    ResponderEliminar
  7. Os pormenores podem definir tanta coisa...inclusivamente as pessoas.

    Não entendo porque alterou os hábitos.

    Só por ser Diretora? O meu entendimento não atinge tais preciosismos...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Pequenos pormenores que definem pessoas? Eu diria que pequenos pormenores desses quase que definem um povo!

    Se não compare-se o meio de transporte utilizado por uma ministra em Portugal, e por uma ministra na Dinamarca (a propósito de uma reportagem que está para ser emitida e que espero ver). Como o jornalista diz "serão os nossos ministros o reflexo de um povo?" até me assusta pensar assim, mas o que é facto é que a situação que descreve vai de encontro a isso mesmo...

    Quanto a mim, lamentável!

    ResponderEliminar