quarta-feira, 8 de maio de 2013

RM (13)- Marlene Dietrich e a mensagem de Plutão



Em 1930 nasce uma nova estrela na tela ( Marlene Dietrich- protagonista do celebrado Anjo Azul), mas é a descoberta nesse mesmo ano de um novo planeta - que viria a ser despromovido 76 anos mais tarde- que vai marcar a década. Plutão, que na mitologia grega simbolizava o deus do inferno, é o anúncio premonitório de algumas desgraças e horrores que virão a ocorrer ao longo da década. 
A crise americana refelectir-se-ia na Europa e daria pretexto à instalação de regimes totalitários. Hitler , Franco e Salazar chegariam aos mais altos cargos políticos. O exemplo de Mussolini singrava na Europa e Portugal adere ao modelo de partido único, com a criação da União Nacional.
 O livro de Ferreira de Castro “A Selva” prenunciava os tempos que se iriam viver em Portugal nas décadas seguintes. E se a estreia do filme “A Oeste nada de Novo” baseado no livro de Erich Marie Remarque defendia valores anti-belicistas, a verdade é que se tornava claro que o mundo não escaparia a uma Segunda Guerra. Um mistério que nem Miss Marple, trazida para a ribalta pela mão de Agatha Christie, conseguirá desvendar.
Apesar da Grande Depressão, a América dá sinais de poder sair rapidamente da crise e, em 1931, os jogos de azar chegam a Las Vegas. Nesse mesmo ano é inaugurado, com pompa e circunstância, o Empire State Building, um majestoso edifício destinado a escritórios, com 102 andares. Porém, o fausto do edifício não se coaduna com a crise que se vive e os escritórios ficam às moscas, o que leva os americanos a apelidá-lo de Empty (Vazio) State Building.

2 comentários:

  1. Lembro-me de "O Anjo Azul", mas segynda versão, que foi um fiasco.

    " A Selva" foi um dos primeiros livros que li do muito aclamado ainda em vida de Ferreira de Castro e acho.o excelente.

    Amigo, bom resto de tarde.

    ResponderEliminar
  2. Fez-me lembrar o filme "O Ovo da Serpente"...

    ResponderEliminar