terça-feira, 21 de maio de 2013

RM-20:De Ialta à Guerra Fria

                          

                       Um estudo realizado recentemente em Inglaterra, revela  que a maioria dos jovens ingleses pensa que Churchill nunca existiu



Em Fevereiro de 1945, em Ialta, Churchill, Roosevelt e Estaline sentam-se à mesa para preparar o pós –guerra. A avaliar pelo que se sabe hoje, o trabalho de Churchill em prol da paz não foi devidamente reconhecido, já que os seus concidadãos do século XXI pensam que se trata de uma figura lendária. A sociedade de consumo tem esta capacidade inaudita de apagar a memória e conferir às novas gerações a capacidade de se tornarem analfabetas, mas muito perspicazes a fazer dinheiro. Diante de ecrãs minúsculos ( sejam eles de computador ou telemóvel) entram no mundo virtual com a rapidez de um arroto, expulso por umas goladas de cerveja. Estou a referir-me ao tempo em escala histórica, entenda-se... Mas voltemos ao mundo real, quando as pessoas não eram simples máquinas ligadas a outras máquinas pretensamente mais inteligentes, que lhes condicionam os movimentos e toldam a lucidez.
Já Hitler estava a falar com os seus colegas nas profundezas do Inferno, quando o PresidenteTruman decidiu mostrar aos terráqueos os horrores da terra de Satã, lançando bombas atómicas sobre Hiroshima e NagasaquiHirohito anuncia a capitulação do Japão, é finalmente alcançada a Paz e os Estados Unidos vão passar a exercer, cumulativamente, a função de árbitros e polícias do mundo. (Era óbvio, já naquela época, que a acumulação de cargos não daria bons resultados, mas nesse ano ainda Bush filho andava de calções e só pensava emhamburguers com ketchup).
Alemanha escapa, por um triz, de ser partida em quatro fatias, mas o mundo divide-se em dois blocos e vai iniciar-se a Guerra Fria entre os Bons e os Maus. Em Leninegrado, Prokofievtraça o cenário com a estreia da ópera Guerra e Paz mas, nos EUA, Humphrey Bogart e Lauren Bacal ensaiam outro guião com o filme À Beira do Abismo. Apesar de ainda estar à espera de se reeabilitar com a vitamina do Plano Marshall, a Europa também dá um contributo à alegoria sobre esta guerra surda, com A Bela e o Monstro de Jean Cocteau.
Tantos anos volvidos ainda  não sabemos com clareza quem são os bons e os maus, porque a história ainda não terminou. Nem se espera que acabe tão depressa, apesar dos esforços que ambas as partes fazem em terminar com tudo rapidamente. Como espero não assistir “in loco” ao epílogo, aguardo que algum dos leitores mais jovens tenha a amabilidade de me comunicar quando nos encontramos lá no “assento etéreo”, ao lado do Camões. Juro que estou curioso de saber o resultado final, porque depois de estar prevista uma goleada fácil dos propagandistas da democracia, a verdade é que a reacção forte dos totalitários está a pôr em risco a vitória folgada que o árbitro Bush anunciou ao mundo, com pompa e circunstância, quando invadiu o Iraque em 2003.
Bem, voltemos atrás. Reentremos onde estávamos antes desta divagação: no ano de 1945. Nesse ano Georges Orwell satirizava o bloco comunista com O Triunfo dos Porcos enquanto o mundo ocidental procurava aliviar os horrores da Guerra e as mulheres recebiam com alvoroço a notícia da invenção da tupperware e do micro-ondas, cuja comercialização se iniciaria três anos mais tarde (1948).


4 comentários:

  1. Afinal, a ignorãncia acerca da História recente não é um exclusivo português,infelizmente parece ser geral (ou quase).

    E depois admiram-se de que aquilo que se julgava morto apareça em força e ainda há cabeças iluminadas a afirmar que a História não se repete...

    Em Portugal temos até esse génio chamado Camilo Lourenço a pregar contra o ensino da História!!

    Até já.

    ResponderEliminar
  2. É curioso; aqui também ontem se reuniram, não os estadistas, mas os conselheiros para decidirem o futuro. Esqueceram-se foi do presente...

    ResponderEliminar
  3. Existiu mesmo o Winston Churchill???

    Eu pensava que o Triunfo dos Porcos tinha acontecido em Portugal!

    No século XXI são os homens que se interessam pela tupperware e pelo micro-ondas, as mulheres estão ocupadas com assuntos importantes.

    ResponderEliminar
  4. O Triunfo dos Porcos está em cartaz e continuará...

    Ontem ,quase madrugada, Os "Porcos, Feios e maus" reuniram-se para nos "tramarem" o futuro...se lá chegarmos!!!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar