terça-feira, 7 de maio de 2013

RM(12)- A Grande Depressão, Tintin e o Dia dos Namorados




Na quinta-feira negra de 1929 (24 de Outubro) a fachada de papel bolsista que alimentava o sonho de riqueza americano, ruíra como um baralho de cartas, zombando das profecias feitas, meses antes, pelo Presidente Hoover que, orgulhoso, anunciava ao povo americano estar próximo o triunfo sobre a pobreza. Acreditaria ele no sucesso dos alimentos congelados que os EUA acabavam de anunciar ao mundo? O que aconteceu nos dias seguintes, com quedas sucessivas no mercado bolsista, foi o desespero, a miséria, o desemprego e o caos económico.
 O descalabro da Bolsa, com as acções a descerem 30 por cento num só dia, acentuou a crise financeira e a quinta feira negra de 24 de Outubro foi o dia em que, formalmente, teve início a maior crise financeira do século XX, que iria durar até eclodir a Segunda Guerra Mundial.
Mau presságio para o que pode acontecer com a crise instalada no mundo inteiro desde 2007, mas que os governos ocidentais ( não apenas o português, é justo dizê-lo) só admitiriam no final de 2008, quando já estava instalada.
Nem só a Grande Depressão, porém, marcou o ano de1929.
Trotsky tornara-se um dos políticos mais populares da Revolução russa,mas não resistiu a Estaline que o deportou para Alma Ata onde viria a ser assassinado em 1940.
A Itália reconhece a Santa Sé e a soberania papal sobre o Estado do Vaticano.
Cerejeira é nomeado cardeal patriarca de Lisboa.
Nasce Tintim. Criação de Hergé, é o protagonista da primeira banda desenhada europeia e terá enorme sucesso durante todo o séculoXX,sempre na companhia do seu inestimável Milu mas, como assinalava Erich Maria Remarque , “A Oeste nada de novo” .
Seria assim? Nem tanto, pois nesse mesmo ano são atribuídos em Hollywood os primeiros Óscares (que nessa altura se chamavam ainda Academy Awards of Meritt). Wing, de William Wellmann recebeu o prémio do melhor filme e Charlie Chaplin um prémio especial,pela genialidade do seu filme "O Circo"
Em Portugal morre Columbano e Vieira da Silva parte para Paris.As artes portuguesas ficavam mais pobres. Nem o filme Zé do Telhado é capaz de disfarçar o desaire. Ainda não se falava no “Grande Circo da Fórmula 1”, mas nesse ano corria-se pela primeira vez um dos circuitos mais emblemáticos do automobilismo : o Grande Prémio do Mónaco.
Registe-se que o carro vencedor foi um Bugatti. Exactamente a marca do carro que Cristiano Ronaldo anunciou aos jornalistas ir comprar,80 anos depois, ao desfazer o seu Ferrari num acidente em Manchester.
No dia de S.Valentim, Al Capone mostra a sua raça assassinando 7 membros do bando rival de Dion O’Banion. Mais de 20 mil pessoas participaram nos funerais das vítimas.
Para assinalar a data,a Internacional Consumista vai transformar este dia no Dia dos Namorados!

Bem vistas as coisas,até não foi mal pensado. Ao fim e ao cabo há por aí tanto namoro a acabar em guerras sangrentas… 
A Lei Seca criara os seus heróis.Quais serão os heróis do fundamentalismo anti-tabágico,80 anos depois é que ainda está para se saber.Seja como for,os Loucos Anos 20 terminavam em grande estilo,fazendo jus ao nome e ao fascínio que ainda hoje granjeiam em todo o mundo.


3 comentários:

  1. Por acaso é algo que vejo mesmo como notícia (????) Carlos - o Ronaldo vai comprar outro carro.
    Porque é preciso vender, arranjam-se estes não-temas

    ResponderEliminar
  2. Anos dificeis, no final de uma década "louca"...

    ResponderEliminar