sexta-feira, 10 de maio de 2013

RM(15): da Grande Marcha aos parquímetros



Em 1934, um ano depois de Hitler ser nomeado chanceler do Reich, tem iníco "A Grande Marcha" comandada por Mao Tse Tung , que irá conduzir anos mais tarde à vitória dos comunistas chineses. As estradas inglesas conhecem um novo invento que permite dar mais segurança aos automobilistas que viajam durante a noite: os reflectores. No Reino de Sua Majestade, para conduzir, passa a ser obrigatório possuircarta de condução. Cansados da Depressão, animados com o New Deal, os americanos jogam ao Monopólio, numa tentativa de reaprender o caminho do sucesso capitalista..
Em Portugal, o ano começa com uma greve geral que pretende derrubar Salazar, mas acaba em efeito “boomerang”, com a destruição do já frágil movimento sindical, que vem a ser consumada em Julho, na “Noite das Facas Longas”. (Como compensação será criada no ano seguinte a FNAT - Federação Nacional da Alegria no Trabalho). No final do ano, Salazar tem o poder consolidado e convoca eleições. Farsa, Primeiro Acto, é levado à cena a 16 de Dezembro, consagrando os protagonistas da ditadura. Manter-se-ia em cena durante 41 anos.
Mas a moda das ditaduras também fazia furor a Leste , por isso Estaline decide, em duas penadas, liquidar a oposição.
Antes de se iniciar a Guerra Civil em Espanha, que levará ao poder mais um ditador(1936), os consumidores são presenteados com o aparecimento do gravador de fita, o filme a cores, a iluminação florescente e a primeira emissão de televisão a cores (Inglaterra e Alemanha).
 São postas à venda as vitaminas em comprimidos, mas ainda estamos longe de ver os seus preços controlados por um cartel. Supõe-se, porém, que Salazar tenha recorrido a elas com abundância, pois nesse ano acumula as pastas da Guerra e dos Negócios Estrangeiros e ainda tem tempo para dar uma mãozinha a Franco.
Nos escassos tempos de lazer, o ditador ainda deve ter arranjado espaço para ver o desenho animado “Branca de Neve e os 7 Anões”...
O trânsito nas cidades europeias já é uma preocupação e o parqueamento uma dor de caebça para os automobilistas.As ruas animam-se com o aparecimento dos parquímetros.

4 comentários:

  1. Retrospectiva muito interessante. Adoro a história da história!
    O mesmo já não digo dos parquímetros.
    Grande abraço Carlos

    ResponderEliminar
  2. Mais um fabuloso capítulo do "Rever a História" no Crónicas on the Rocks.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Gostei de ler, muita coisa que eu não tinha conhecimento.
    Bom fim de semana Carlos

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  4. E vai-se avançando na melhoria de vida e na consolidação das ditaduras...

    ResponderEliminar