quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Mais vale ser pianista num bordel!


Uma amiga convenceu-me a acompanhá-la a um almoço onde eu não conhecia ninguém. Aí chegado, começaram as apresentações.
A determinada altura, num pequeno círculo onde esforçadamente me entrosava, a minha amiga fez referência ao facto de eu ser jornalista. Afivelei um sorriso amarelo e  disse:
- M. não diga aos seus amigos que sou jornalista. Nos tempos que correm, prefiro que eles pensem que sou pianista num bordel.
Algumas pessoas sorriram.
Eu agradeci a Seguela por me ter inspirado naquela hora de aperto.

8 comentários:

  1. Ainda há jornalistas, Carlos.
    Coisa bem diferentes de escrevinhadores

    ResponderEliminar
  2. Não exageremos!
    Em todas as profissões há gente digna!

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Que bordel seria, ao ter um pianista?!

    :D

    ResponderEliminar
  4. Um bordel com pianista é só frequentado pelos membros do PS.

    ResponderEliminar