quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Menina rica, menina pobre


As meninas pobres podem ser felizes desde que sustentem um marmanjo  que lhes bata todos os dias e lhes dê uns miminhos nos intervalos, enquanto arrota a cerveja  esparramado diante do televisor, durante a transmissão dos jogos de futebol.
Se não aceitarem as regras e quiserem apanhar o elevador social do Portas lixam-se, ficam sozinhas e serão infelizes para sempre.
As meninas ricas podem ser felizes enquanto ignorarem ( ou fingirem que ignoram) que o marmanjo lhes põe os palitos com tudo quanto mexe. No dia em que o confrontarem  correm o risco ser abandonadas e então, das duas uma: ou se calam para sempre e continuam a usufruir da conta bancária, ou tornam-se irascíveis e denunciam as vigarices do marmanjo à polícia. Nesse caso  vão viver com as meninas pobres, mas sempre à espera de encontrarem um gajo rico que lhes devolva o estatuto de futilidade das Cinderellas.
Só que às vezes as coisas correm mal e as meninas ricas que não se portam bem são castigadas.
Tá bem, eu sei que isto é uma interpretação muito simplista de “Blue Jasmine”, mas não me apetece enveredar pelo caminho intelectualóide teenager dos anos 60, porque para esse filme já dei.
Não fosse  Cate Blanchet ( apesar de tudo continuo a preferir a Scarlett ou a Penélope) , Blue Jasmine era uma merda. Assim é apenas uma xaropada.
Não costumo escrever sobre filmes de que não gostei, mas desta vez abri uma excepção, só para fazer um aviso ao Woody Allen. Estás velho, pá! Vai brincar com o complexo de Édipo das meninas do Tea Party!

7 comentários:

  1. Nunca percebi o fascínio da Europa por este realizador.

    E xaropada mesmo e a todos os níveis -a té no casting - é´"Diana". Mais valera que nem a ideia tivesse riscado o cérbro iluminado de quem fez aquilo...

    Esperando que estejas já totalmente recuperado, deixo um abraço

    ResponderEliminar
  2. Quando comecei a ler o texto até à palavra "futebol" sinceramente pensei que o Carlos estava a falar da minha filhota e do ex-marido, uma vida que durou 14 anos.

    Concordo que seja uma xaropada total.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  3. Estou cada vez mais curioso para ver o filme.

    ResponderEliminar
  4. O meu querido Woody não está velho, está velhíssimo, no entanto, no dia 7 de Novembro lá estou a assistir à estreia de "Blue Jasmine"!!!

    ResponderEliminar
  5. Vi-o no Fonte Nova, de passagem por Lisboa.

    Achei-o banalíssimo...fraquinho ...(agradeci ao voucher o bilhete grátis)!!!

    Não aprecio Woody Allen.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. Mais uma opinião negativa para o rol, ainda nenhuma positiva. Mesmo assim, quero ver o filme... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  7. Vi e estranhei algumas críticas tão positivas!
    É certo que a Cate Blanchet tem uma boa interpretação de quem anda completamente fora do mundo real mas a historiazinha é para lá do banal.
    Até a políticos portugueses já aconteceu serem denunciados pelas esposas traídas!

    ResponderEliminar