segunda-feira, 14 de outubro de 2013

RM 51: Vaya con Dios a Atracção Fatal pelo Trivial Pursuit




Ben Johnson poderia ter-se tornado num ídolo da sociedade de consumo, cujas virtudes a publicidade e o marketing explorariam até à medula para promover os seus produtos, não fora o caso de nos Jogos Olímpicos de Seul (1988) ter feito batota para bater o recorde mundial dos 100 metros. Esteróides anabolizantes deram-lhe forças suplementares que falsearam o resultado. O seu sonho durou uma semana. De ídolo, passou a excluído e ninguém mais se lembrou dele. A partir daí o controlo anti-doping aperta as suas malhas. Já não vai ser tão fácil enganar o povo.
A URRS dá por terminada a guerra no Afeganistão, iniciada em 1979, que era condenada pelo mundo inteiro. Mas a guerra tem duas caras e, menos de duas décadas depois, os americanos vão exercitar a pontaria contra os talliban no mesmo palco abandonado pelos russos. Agora, porém( diz-se à boca cheia), a guerra é boa , porque é preciso exterminar o terrorismo e apanhar Bin Laden. Os afegãos, que não têm culpa nenhuma e até são um povo simpático, não são ouvidos nem achados nesta questão.
Benazir Bhutto é eleita pelos paquistaneses para chefiar o governo, tornando-se na primeira mulher a comandar os destinos de um país islâmico. Um ano depois será acusada de corrupção, abuso de poder e incompetência, sendo forçada a entregar o poder aos militares. Voltará em 1993, para renunciar novamente em 1996. Finalmente, em 2007, decide candidatar-se mais uma vez mas é assassinada em plena campanha eleitoral. O filho assegurará a continuidade dos Bhutto na liderança dos destinos do Paquistão. Sempre é um homem, por isso os militares – nomeadamente Perez Musharaff, o amigo dos americanos na região- vão tolerá-lo. Resta saber até quando...
A liberdade sexual cobra o seu preço: a SIDA alastra como uma praga e atinge já cinco milhões o número de portadores do vírus HIV.
A utilização da cana do açúcar nos biocombustíveis ainda não é conhecida e ser ecologista no Brasil ainda é perigoso: Chico Mendes é assassinado.
No norte da Alemanha aparecem inúmeras focas mortas. As causas constituem um aviso sério: a poluição marítima está a matar a fauna marinha. Pesarosos, os senhores que comandam o mundo e transformaram a economia no deus todo poderoso culpam uma alga marinha do infausto acontecimento. Cientistas de todo o mundo negam a veracidade desta explicação, mas os predadores do planeta fazem como a avestruz e prosseguem a sua saga. E para que a sociedade de consumo quebre mais uma barreira, a Comunidade Europeia aprova a criação da moeda única. A princípio irá chamar-se ECU, mas anos mais tarde António Guterres baptiza-la-á de Euro. Entrará em circulação no século XXI, fazendo desaparecer o escudo e outras moedas nacionais.
Quem disse que no século XX já não se constroem monumentos? A Pirâmide do Louvre demonstra que é falso.
"De pequenino se traça o destino", por isso é estabelecida a proibição de fumar nas escolas. Em compensação, já podemos ir à praia com a indumentária com que viemos ao Mundo: o nudismo passa a ser autorizado em Portugal e a praia do Meco torna-se a Meca dos amantes da modalidade.
Morre um pedaço de Lisboa com o incêndio do Chiado. As promessas de reconstrução rápida têm o resultado do costume. Os lisboetas ver-se-ão privados da sua sala de visitas e as grandes superfícies aproveitam. Acelera o regabofe das catedrais de consumo.
A "Atracção Fatal" dos portugueses não é só o filme. Um jogo chamado "Trivial Pursuit" muda os seus hábitos. Durante alguns meses é a febre de todas as noites. Mas como acontece com (quase) tudo, na sociedade de consumo, o entusiasmo passa e as discotecas voltam a ser os locais de culto, abrindo as suas portas ao som dos "Vaya Con Dios".

7 comentários:

  1. É bom recordar, mesmo quando as memórias não são todas elas agradáveis.


    Fica bem, meu caro

    ResponderEliminar
  2. Os senhores que comandam o mundo, tambem o destroem.
    Boa semana Carlos.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  3. Fui uma viciada no Trivial, jogava-o com os meus filhos...saudades!

    ResponderEliminar
  4. Memórias que adoro recordar, apesar de tristes.

    Assim se constrói a HISTÓRIA!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar