sexta-feira, 25 de outubro de 2013

RM 58: " Não posso mais!"


Em 1994 o computador mostra a sua força e derrota o campeão do Mundo de xadrez Kasparov. Anos mais tarde, dando sinais que não digeriu a derrota, Kasparov irá desafiar Putin. Nova derrota demonstra que os ídolos também se abatem.
Em Portugal Lisboa é capital Europeia da Cultura e vêem-se os primeiros sinais da EXPO -98: começam as demolições.
A TV Pimba assenta arraiais com "Perdoa-me", "Cenas de um Casamento" e "All you Need is Love". A RTP , em vez de estar quieta, contra-ataca no mesmo estilo.
De Foz Côa vem a surpresa: gravuras pré-históricas são descobertas e ... era uma vez uma barragem.
Os telefones eróticos atacam em força, as vendas por correspondência são uma praga, o “time share” uma alienação, a publicidade entra em nossas casa sem pedir licença, os hipermercados crescem como cogumelos, os desportos radicais assentam praça. Em cada esquina há um moedinhas, uma caixa multibanco e um cócó de cão. Pedro Abrunhosa interpreta o sentir dos portugueses cantando "Não Posso Mais" Ai podes, podes... Aguenta, aguenta- confirmará  anos mais tarde o banqueiro do neurónio único.
Depois das auto estradas de betão, entramos , em 95, na era das auto estradas da informação. Mas nestas não andamos: navegamos ou "surfamos" sem pagar portagem. A conta vem ao fim do mês, como a dos telefones eróticos. Chega o porta- moedas electrónico e a TV por cabo, vai-se às Docas de patins em linha, e quem nos traz as cartas é "O Carteiro de Pablo Neruda".
O muito chorado Monumental reabre as suas portas transformado em Centro Comercial. A sociedade de consumo celebra mais uma vitória…
Cada um tem o seu PC , os cartões de visita passam a incluir fax e e-mail. E toda a gente nos quer levar coisas a casa. Da Telepizza à comida chinesa, passando por refeições completas, incluindo serviço e guardanapos, tudo é possível obter através do telefone. O trânsito vai aumentar na hora de ponta de fim de tarde e as motoretas da Telepizza passam a ser referenciadas como perigo público.

2 comentários:

  1. O betão tem se alargado imenso, passando por cima da natureza.
    Nunca me deixei influenciar com publicidades, não faz o meu género fazer compras pela net, nunca ninguem me vem entregar compras a casa, não faz parte de mim, sou um pouco conservadora, gosto de ir ao mercado tradiciomal, aos supermercados, não gosto de grandes superficies e gosto de escolher o que compro.
    E não tenho PC não posso comprar, mas tenho o meu Rodr. que partilha comigo.

    bom fim de semana Carlos

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  2. O consumismo continuou e há quem já pague os excessos cometidos.

    Comprei o meu primeiro pc já aposentada .

    Beijinhos.

    ResponderEliminar