quarta-feira, 30 de outubro de 2013

RM 60: O último conto de fadas?

1997:Assim se reescreve um conto de fadas. Era uma vez uma princesa que trocou o seu príncipe encantado por um plebeu... e não foram felizes para sempre! Sob um túnel de Paris encontraram a morte e o povo saiu à rua para a chorar. Diana entra na lenda pela porta errada dos contos de fadas. Dando a volta ao argumento, que desta vez não teve um final feliz.
Meses antes Hong- Kong voltara a ser da China. O "El Niño" passou o ano a fazer das suas, ateando fogos aqui e provocando inundações acolá.
No final do ano, em Santiago do Chile, reúnem-se organizações de consumidores de todo o Mundo para o último Congresso do século. Não faz sentido falar de globalização, quando as assimetrias entre os consumidores dos países ricos e pobres são gritantes. Em debate estão os grandes desafios do século XXI: os info excluídos, os alimentos transgénicos, o consumo ético, o acesso à justiça., o crédito ao consumo e o consumo sustentável.
No mundo da música elas é que mandam. São as "Spice Girls". A Internacional consumista é injusta... já ninguém se lembra das "Doce".
Na televisão, a SIC distribui os Globos de Ouro, mas quem os leva para casa é a RTP. Para que servem as audiometrias?
O sudeste asiático abala as Bolsas ocidentais, mas em Portugal ninguém se importa e as acções da EDP são disputadas quase a murro.
O café das manhãs de sábado sabe melhor, agora que apareceu o DNA, um suplemento do Diário de Notícias que é um prazer ler e saborear.
A sociedade de consumo tem um novo produto para venda: a máquina fotográfica digital. Adeus álbuns de fotografias, olá disquette! E a festa faz-se numa nova catedral. Chama-se Colombo e reclama ser o maior da Europa. Dança-se a "Valsa Lenta" em "Jardins Proibidos". O que nos está a fazer falta é"Um Paciente Inglês"...

5 comentários:

  1. A Diana não trocou um príncipe por um plebeu; o príncipe é que a trocou por outra mulher. E o último plebeu da Diana não era príncipe, mas era podre de rico.

    Uma das vezes que fui a Paris também estive no túnel, embora o lugar coberto de flores e de mensagens, não seja exactamente o sítio do acidente.

    O texto não está completo, Carlos, faltam algumas frases para se compreender o sentido, pelo menos, no meu note-book está incompleto.

    ResponderEliminar
  2. Diana e Carlos foram trocando de pares..."traição com traição se paga"!!!

    Completa o texto, Carlos!!!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Caras amigas:
    Peço imensa desculpa, mas não sei o qe se passou com o texto. Como estava pré agendado, só me apercebi graças aos vossos reparos. Obrigado e as minhas renovadas desculpas
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. E os chineses a chegarem aqui ao lado.
    Será que comem criancinhas ao pequeno-almoço??

    ResponderEliminar