quinta-feira, 31 de outubro de 2013

RM 61: Foi bonita a festa, pá!

Em 1998 só dá Portugal. O país está na moda. A cidade do Porto serve de anfitriã à Cimeira Ibero-Americana e recebe a notícia de que em 2001 será capital Europeia da Cultura. A zona ribeirinha é considerada Património Mundial e, para cúmulo, o F.C. Porto sagra-se tetracampeão. Foi S. João o ano inteiro na Invicta.
Em Lisboa, poucas semanas antes da inauguração da Vasco da Gama, um detergente decide promover a sua imagem oferecendo uma feijoada a 15 mil convivas, em cima do tabuleiro da nova ponte. O evento entra para o Guiness, nas vésperas de abertura da EXPO. Não vêm tantos visitantes como os inicialmente esperados, mas quem não veio não sabe o que perdeu. Lisboa está linda e a última exposição do século foi um espanto.
Para terminar da melhor maneira o ano, José Saramago recebe o Prémio Nobel da Literatura.
A realidade virtual chega aos brinquedos. A vedeta é o tamagotchi, mas já se anuncia a pequena órfã Kimiko, os digimonsters e as namoradas virtuais. A bem da sociedade de consumo, as "alcopops" entram nos hábitos dos consumidores mais jovens e o Ecstasy torna-se um complemento de todas as noites.
Contra o trabalho infantil, realiza-se uma grande marcha que percorre os cinco continentes e termina em Genève, à porta da OIT. Entretanto, em Bruxelas, o Tribunal Permanente dos Povos acusa empresas como a C&A, Adidas, Nike, e Walt Disney, de violarem os direitos dos trabalhadores. Horários de trabalho excessivos, remunerações inferiores ao nível de subsistência e condições laborais deficientes, aviltantes da dignidade humana, são algumas das acusações.
O ano finaliza com um fracasso ao ritmo do tango. Em Buenos Aires, na Cimeira sobre o clima, foram mais uma vez adiadas medidas de fundo para salvar o Planeta. Paulatinamente vamo-nos autodestruindo, mas Gardel não tem culpa.

4 comentários:

  1. E eu continuo a gostar do Parque das Nações, de Saramago e do tango! :)

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Carlos, excelente descrição temporal !
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Fui à Expo algumas vezes, pois tive a sorte de ter a minha filha a trabalhar na RTP e tinha livre trânsito.
    Fui ao encerramento,com colegas e adorei!
    Na altura da "fúria" dos tamagotchis tinha sempre a minha secretária "enfeitada " com uma série deles que voltavam aos "pais" no fim das aulas.
    Gosto do Parque da Nações, não sou apreciadora de Saramago , mas ADORO TANGO!
    Parabéns pela crónica!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar