quarta-feira, 9 de outubro de 2013

RM49: Soares é fixe e o resto que se lixe?

Rui Reininho canta “ Quero ver Portugal na CEE”. Seja feita a sua vontade...
No primeiro dia do ano de 1986, Portugal entra formalmente para a CEE e o primeiro bébé proveta a nascer no nosso País já é um cidadão comunitário. Ambos os acontecimentos podem ser registados com as novas máquinas fotográficas descartáveis.
No Hospital de Santa Cruz faz-se o primeiro transplante cardíaco. A medicina portuguesa vive um ano de glória. Acaba o papel selado e começa o "Cartão Jovem" . A sociedade de consumo proclama eufórica :"Venham a mim as criancinhas".
"Era Uma Vez na América" enche as salas de cinema, enquanto a campanha de Freitas do Amaral sob o lema "P'ra Frente Portugal" é feita ao bom estilo americano. Mário Soares "é fixe" e ganha as eleições, mas quem vai p'rá frente é a sociedade de consumo. A D. Branca está presa, mas a Bolsa faz a sua vez e os portugueses entram em euforia bolsista.
O filme “África Minha” é o rei de Hollywood, ao conquistar sete estatuetas e o nigeriano Wole Soyinka é o primeiro africano galardoado com o Prémio Nobel da literatura. A África do Sul, no entanto, persiste na sua teimosia e o governo vê-se obrigado a decretar o estado de sítio, na sequência de graves tumultos raciais.
O vai-vem Challenger explode com sete tripulantes a bordo. Pausa no programa de voos tripulados.
Aquilo que se dizia ser impossível acontece: em Chernobyl (URSS) explode um reactor da central nuclear e é libertada para a atmosfera uma gigantesca nuvem de radiações, que atinge vários países europeus. Na Alemanha um incêndio numa fábrica de produtos químicos polui gravemente o Reno.
Os cientistas lançam alertas de perigo, mas os políticos assobiam para o ar. Se o povo quer circo, os políticos estão dispostos a fazer-lhe a vontade, em troca de uns votos nas urnas. Não admira, pois, que muitos tenham encarnado a figura do palhaço rico, para conferir mais realismo ao circo da sociedade de consumo. 
A partir de agora é possível uma visão do que será o século XXI, com a inaguração, perto de Paris, de La Villette- a Cidade da Ciência. Se as previsões não falharem, é capaz de ser agradável viver essa época tecnológica.

6 comentários:

  1. Este século tem sido uma desilusão para mim.

    Gostaria de retornar ao passado.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Grandes acontecimentos em 1986; e muito marcantes, para o bem e para o mal: emocionámo-nos e angustiámo-nos muito com o desastre de Chernobyl e a explosão do Challenger, vista em directo na TV. Um dos melhores filmes da minha vida "Era uma Vez na América", fascinou-me profundamente, porque "amo" Robert de Niro, um dos meus actores de culto, com a sua capacidade camaleónica de se transformar em qualquer personagem (e aqui interpreta 3 diferentes), a sua banda sonora, lindíssima. É para mim, um dos melhores, ou mesmo o melhor filme de gangsters ( mais que "O Padrinho").

    ResponderEliminar
  3. Peço desculpa, queria dizer "interpreta a mesma personagem", mas em três tempos diferentes, e não três personagens: anos 20, anos 40 e anos 60 do séc.passado.

    ResponderEliminar
  4. Mais uma época marcante.

    Fico-me pelo cinema.

    Adorei "Era Uma Vez na América" e “África Minha” deixa-me nostálgica.

    Dois filmes inesquecíveis.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Os filmes eram sublimes.
    Mas o Soares não foi fixe :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um prazer em saber que há alguém na blogosfera que pensa como eu.

      Muitíssimo obrigada, Pedro!

      Eliminar