quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Aperitivando, tasse bem!


Fui procurar nos meus arquivos e confirmei: o DN foi  percursor  ao dar o devido destaque a um novo verbo da língua portuguesa. O verbo “tar”, durante muito tempo reduzido à expressão oral, passou para a linguagem electrónica, vulgarizou-se nos SMS e, um dia, irrompeu nas páginas do DN, gerando grande clamor indignativo.
Como acontece em muitas outras ocasiões, a indignação foi silenciada e o verbo “tar” passou a ter presença assídua naquele que, em tempos, foi considerado um diário de referência.
“Tava” eu nestas cogitações junto à piscina, em final de tarde de estio,  quando  o empregado do hotel onde me hospedara se abeirou de mim e perguntou:
- Deseja tomar alguma coisa?
Pedi um whiskey e uns aperitivos para fazer lastro.
Minutos volvidos o empregado regressou:
- O senhor gosta de  “Pitaxio”?
Respondi na mesma terminologia:
-Preferia  “ mindoíns”, se tiver…
O meu pedido foi rapidamente satisfeito e enquanto via o sol esconder-se atrás das serras de Basto,  confidenciei à minha companheira:
“ Tásse bem  aqui”
Tásse, tásse! Pena é não terem aqui a minha bejeca preferida”
E qual é? – perguntei
“A  Sagris mine”

8 comentários:

  1. Eu gosto é de alcagoitas... mas este aperitivo pertence a outro dicionário. :))

    ResponderEliminar
  2. Não tinham mine??!!
    Cumé que se tá bem sem mine??? :)))

    ResponderEliminar
  3. A certa altura, ia eu a passar em certo sítio e vi um letreiro que dizia :
    Sereveija, entremosses e minuins - 1 euro

    rsrsrs ... Abraço e ... tásse bem ! :))))
    .

    ResponderEliminar