quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Estou cada vez mais chinês!


Talvez seja da idade, mas tenho de admitir que começo a ficar intolerante com certas práticas do ser humano. Geração após geração o Homem, em vez de ficar mais civilizado, solidário e cooperativo, está a ficar cada vez mais bruto, idiota e egoísta. 
Vejam este video ouçam a notícia e depois talvez concordem comigo: estou a ficar farto das mais amplas liberdades, por isso estou cada vez mais chinês e começo a defender alguns métodos radicais. Um tipo  que fosse apanhado a fazer isto, nem precisava de ir a julgamento. Comparecia diante do juiz para tomar conhecimento da data  do fuzilamento e a família teria de pagar todas as despesas. Inclusive, o telefonema a avisar a data da execução. 
Penso que só assim os pais voltarão a assumir a sua responsabilidade de educadores  e a perceber que crianças não são ervas daninhas que nascem de geração espontânea e se deixam crescer livremente. A bem das crianças é preciso responsabilizar os pais. Estou farto de ouvir jovens, na casa dos 25-30, lamentarem o facto de os pais não terem sido mais exigentes com eles. Sabem o que isso significa? Que estes jovens vão ser, a breve prazo, defensores de regimes autoritários e críticos da democracia.


9 comentários:

  1. O que eles inventam! Este assunto é muito difícil de abordar brevemente. Como sabes os miúdos não são educados apenas pelos pais e sofrem muitas influências externas. Muita coisa provoca esta falta de civilização e respeito pelo outro. Até o aumento do horário laboral se vai reflectir na educação futura. Conheço pais que tiveram problemas com os filhos por seres exigentes e não permitirem que eles tivessem uma vida fácil e irresponsável. Ouviam muitas vezes dos filhos: Mas os pais dos meus colegas dão, ou ainda, os pais dos meus colegas deixam. Estou certa que em muitos casos os pais são aqueles que menos responsabilidades têm. Todos fogem à responsabilidade e eles vão aproveitando a imunidade que a idade lhes dá e o facto de os pais não poderem estar sempre presentes para imitarem aqueles que não têm pais e vivem sem que lhes tenham dito que mesmo em liberdade há responsabilidades e limites. Até na educação estão à beira do abismo e admira-me que haja quem queira ter filhos num mundo onde não há limites para nada. Ou a criança tem uma personalidade forte e sabe valorizar o que lhe é ensinado em casa ou então acaba comido pelo vandalismo que nos rodeia. Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Estão-se a perder os costumes, educação...não há limites para nada!

    Amedronto-me com as constantes notícias de violência juvenil.

    Serão futuros DITADORES!

    Beijinhos.




    ResponderEliminar
  6. Isto é do mais abjecto que se pode imaginar, Carlos.
    Como é que há gente (???) assim?

    ResponderEliminar
  7. É difícil educar quando não se está em casa. Esse, na minha opinião, é o grande problema.

    ResponderEliminar

  8. Não me leves a mal... mas a bem da minha sanidade mental nem vou ver o vídeo, o título bastou-me!
    Talvez se for instaurada de novo a pena de talião, os requintes de malvadez sejam refreados!


    Beijinhos em ti (que podes pagar com a mesma moeda, se quiseres!)
    (^^)

    ResponderEliminar