segunda-feira, 31 de março de 2014

Dinheiro para os alfinetes



Volto hoje à rubrica sobre a origem de determinadas expressões.
"Ter  dinheiro para os alfinetes" significa ter o indispensável para viver e fazer umas pequenas poupanças.
A expressão remonta ao tempo  em que os alfinetes eram objecto de adorno das mulheres. A frase significava, então, o dinheiro poupado para a sua compra porque os alfinetes eram um produto caro. Os anos passaram e os alfinetes tornaram-se utensílios, já não apenas de enfeite, mas utilitários e acessíveis. Todavia, a expressão chegou a ser acolhida em textos legais.
Por exemplo, o Código Civil Português, aprovado por Carta de Lei de Julho de 1867, por D.Luís, da autoria do Visconde de Seabra, vigente em grande parte até ao Código Civil actual, incluía um artigo, o 1104, que dizia: «A mulher não pode privar o marido, porconvenção antenupcial, da administração dos bens do casal; mas pode reservar para si o direito de receber, a título de alfinetes, uma parte do rendimento dos seus bens, e dispor dela livremente, contanto que não exceda a terça dos ditos rendimentos líquidos.»
Fonte: Internet

6 comentários:

  1. É ainda actual esta parte do código???

    «A mulher não pode privar o marido, porconvenção antenupcial, da administração dos bens do casal....»

    Espero, que não!!!

    ResponderEliminar
  2. O que as mulheres sofriam por uns míseros alfinetes .

    beijinho meu amigo

    ResponderEliminar
  3. Penso que o código já foi actualizado!!!

    Adoro estes "Dizeres" da Sabedoria Popular.
    Houve uma colecção de pacotes de açúcar com "Dizeres".

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Fiquei tão chatiada com este Código Civil Português, que me esqueci de lhe dizer, Carlos, que GOSTO MUITO desta rubrica sobre a origem de determinadas expressões.

    Caso que o Código não tenha sido actualizado, quero que os homens portugueses metam os alfinetes no...

    ResponderEliminar
  5. Dos poucos direitos que eram conferidos à mulher

    ResponderEliminar
  6. Este Código Civil era de uma generosidade atroz para as mulheres! OK, era a mentalidade vigente na época, com as mulheres a serem tomadas como seres de 3ª categoria... Infelizmente, as mulheres árabes (e não só) ainda hoje são consideradas mais abaixo que isso!

    Beijocas

    ResponderEliminar