quarta-feira, 26 de março de 2014

Por falar nisso...

A propósito do post de ontem, lembrei-me de criar uma rubrica  sobre a origem de determinadas  expressões que se tornaram populares. Para começar, nada melhor do que a expressão  “Negócios da China”.
Consensual é que a origem da expressão remonta ao século XIX  e aos lucros exorbitantes que portugueses e ingleses faziam com os produtos trazidos do Oriente.
Com o tempo, a expressão passou a ser utilizada para designar um bom negócio, em que uma das partes tema muito mais vantagens do que a outra.
Exemplo? Os banqueiros. Emprestamos-lhes dinheiro e eles cobram-nos  comissões, em vez de nos pagarem juros.

8 comentários:

  1. Ora nem mais!

    ...e o governo que faz o maior "Negócio de China" com o roubo aos nossos salários e reformas!!!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Será um rubrica interessante e certamente educativa.

    A propósito do post anterior, da mudança de casa e da necessidade de se "livrar" de muita coisa, imagino que não deve ser fácil. E fotografias então... Bem sei que está a digitalizar mas o facto é que o bom velho papel ainda continua a dar mais garantias à função memória. O digital por vezes falha-nos. Temos que nos lembrar de ir mudando de suporte.

    ResponderEliminar
  3. Carlos tocou mesmo na ferida que ando a tentar curar e não consigo.
    O banco em questões de juros do emprestimo da minha casa que comprei à 12 anos, está a abusar, esta semana vai ser tirada para tentar perceber o que eles não conseguem eslarecer.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  4. esclarecer, era o que queria dizer. desculpe

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Os juros com que o aforro é remunerado, pelo menos por aqui, incentivam ao consumo e ao investimento.
    Ou a meter o dinheiro debaixo do colchão.

    ResponderEliminar
  7. O "negócio da China" mais popular é a EDP...

    ResponderEliminar