terça-feira, 13 de maio de 2014

By Oliv(i)er



Há dias, as autoridades de saúde pública londrinas ( uma espécie de ASAE lá do sítio) encerraram o talho Barbacoa, do chef Jamie Oliver, proprietário do famoso restaurante com o mesmo nome.  Entre outras preciosidades, os inspectores encontraram  fezes de ratos, carcaças de animais bolorentas e carne estragada. Presume-se que estes produtos serviam para confeccionar as  apreciadas iguarias servidas no restaurante que fica no andar de cima  e é um dos mais famosos de Londres.
No melhor pano cai a nódoa.  Jamie Oliver tem desenvolvido uma grande campanha em defesa da educação alimentar, baseada no consumo de produtos naturais. Graças à sua tenacidade,conseguiu alterar radicalmente a dieta alimentar nas escolas inglesas, substituindo as refeições à base de fast food por ementas à  base de produtos naturais, ricas em fibras e verduras.
A ousadia granjeou-lhe inúmeros inimigos, nomeadamente na indústria alimentar, mas James Oliver respondeu com outra iniciativa que deu brado em Inglaterra: a criação do muito badalado restaurante Fifteen, que funciona como escola de culinária, para jovens desfavorecidos.
Recentemente, ficou célebre a sua guerra com a poderosíssima Mc Donald's. Num programa de televisão, Oliver mostrou  como a Mc Donalds  confecciona os seus produtos, o que resulta numa pouco saudável mistura de carne com amoníaco. A multinacional do fast food , embora refutasse a acusação, acabou por mudar o processo de fabrico dos hamburguers, o que foi visto como mais uma vitória de Oliver na sua guerra contra a junkfood.
Daí que haja quem suspeite que as persistentes visitas da polícia sanitária londrina aos estabelecimentos de Jamie Oliver não são propriamente inocentes...
Como a maioria dos leitores saberá, por cá temos um chef  com um nome parecido: Olivier Costa. Proprietário de vários restaurantes muito badalados, Olivier Costa também teve a ASAE à perna, mas por outros motivos: desobediência.  O caso aconteceu em 2011, quando a ASAE o obrigou a encerrar o restaurante da Barata Salgueiro, por não ter licença para dança. Olivier Cosat resistiu, manteve o espaço aberto e acabou por ser absolvido, mas não evitou alguns danos colaterais.
Recentemente abriu no Monumental o pronto a comer Assador by Olivier.  
Esta ideia de proletizar o seu conceito de restauração não está a correr lá muito bem. O serviço é deficiente, e a qualidade do produto um totoloto. Nomeadamente o roastbeef, que alterna os dias em que se mostra suculento, com outros em que a secura afastam qualquer cliente. 
Algo a rever pelo chef, urgentemente, para evitar males maiores. 

5 comentários:

  1. É realmente muito estranho que James Olivier deixasse o seu talo nessa porcaria toda, especialmente quando está a fazer frente a ma multinacional dessa dimensão.

    Quanto ao restaurante do Olivier tuga, não conheço. :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Talvez estas visitas não sejam mesmo inocentes!

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  3. Também me inclino para a falta de inocência dessas visitas...
    Tem feito muitos inimigos e é bem provável que eles estejam a espernear...
    xx

    ResponderEliminar
  4. Muito esquisito que Jamie Oliver se tenha descuidado dessa forma.
    Cheira a esturro

    ResponderEliminar
  5. As fezes de ratos, as carcaças de animais bolorentas e a carne estragada foram colocadas no talho Barbacoa, do chefe Jamie Oliver, pelos inspectores ou pelos proprietários do Mac Donalds???

    ResponderEliminar