segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Caminhos cruzados


E depois, ainda há os automobilistas que decidem estacionar em cima dos passeios

Seguia pelo passeio estreito e irregular de calçada portuguesa, onde duas pessoas não se cruzam.
Em sentido contrário vinha um homem  olhando para o telemóvel e soltando gargalhadas.
Quando nos estávamos quase a cruzar decidi descer do passeio para evitar o embate, mas um autocarro circulando no mesmo sentido impediu-me. Parei e  apenas tive tempo de dizer ao homem que , distraído, estava em vias de me abalroar:
Cuidado!
Tarde demais. Ele assustou-se, o telemóvel saltou-lhe das mãos e caiu num bueiro*.
As gargalhadas transformaram-se em estupor e desespero. Tive pena dele, mas que podia eu fazer?
* Para quem não saiba, bueiro significa sarjeta

7 comentários:

  1. Foi pena, mas as pessoas parecem aquelas dos anúncios de televisão: falam ao telemóvel em todos os sítios e circunstâncias sobre ninharias, as mais das vezes...

    Boa semana, amigo meu

    ResponderEliminar
  2. Coitado...talvez lhe sirva de lição.

    O telemóvel tornou-se numa praga!!!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Há caminhos que quando se cruzam, alguém fica a perder...

    ResponderEliminar
  4. Vejo desses filmes todos os dias Carlos, os carros nos passeios diminuíram por aqui, a policia anda em campo de livro de recibos na mão.

    Boa semana Carlos.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  5. Ora,mau era se alguém se tivesse aleijado com a distração do homem... Talvez para a próxima ele fique mais atento!

    Beijocas

    ResponderEliminar
  6. Essa malta que não larga a porcaria do portátil em lado nenhum tira-me do sério, Carlos.
    E coloca-se em situações de real perigo.
    Pior, coloca terceiros em situações de real perigo.
    Estupor de vício estúpido!

    ResponderEliminar
  7. Quem não sabe que bueiro significa sarjeta é porque não merece saber. :)

    ResponderEliminar