sábado, 30 de agosto de 2014

Porque hoje é sábado

Os Velhos

Em suma: somos os velhos,
cheios de cuspo e conselhos,
velhos que ninguém atura
a não ser a literatura.

E outros velhos. (Os novos
afirmam-se por maus modos
com os velhos). Senectude
é tempo não é virtude...

Decorativos? Talvez...
mas por dentro “era uma vez...”

*

Velhas atrozes, saídas
de tugúrios impossíveis,
disparam, raivoso, o dente
contra tudo e toda a gente.

Velhinhas de gargantilha
visitam o neto, a filha,
e levam bombons de creme
ou palitos “de la reine”.

A ler p’lo sistema Braille
ó meus senhores escutai!
um velho tira dos dedos
profecias e enredos.

Outros mijam, fazem esgares,
têm poses e vagares
bem merecidos. Nos jardins,
descansam, depois, os rins.

Aqueles outros (os coitados!)
imaginam-se poupados
pelo tempo, e às escondidas
partem p’ra novas sortidas...

Muito digno, o reformado
perora, e é respeitado
na leitaria: “A mulher
é em casa que se quer!”

Velhotes com mais olhinhos
que tu, fazem recadinhos,
pedem tabaco ao primeiro
e mostram pouco dinheiro...

E os que juntam capicuas
e fotos de mulheres nuas?
E os tontinhos, os gaiteiros,
que usam cravo e põem cheiros?

(Velhos a arrastar a asa
pago bem e vou a casa)

E a velha que se desleixa
e morre sem uma queixa?
E os que armam aos pardais
nessas hortas e quintais?

(Quem acerta co’os botões
deste velho? Venha a cidade
ajudá-lo a abotoar
que não faz nada de mais!)

Velhos, ó meus queridos
velhos,
saltem-me para os joelhos:
vamos brincar?

Alexandre O'Neil


5 comentários:

  1. Carlosamigo

    O O'Neil eu conheci-o
    era um excelente vadio
    que nesta linda idade
    foi parar à publicidade

    Os poemas do Alexandre são monumentos da escrita em Português. Era um gajo fixe com quem ganhei algumas madrugadas (quantas? Muitas) no paleio e nalguns copos. Na altura eu inda não fazia parte dos velhos. Mas saltar-lhe para os joelhos? Com esta enormidade de quilos nem com os melhores conselhos...

    Muito obrigado por me fazeres recordar

    Abç

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Ouvi-o há uns anitos no dia Mundial da poesia, na TSF.

    Excelente!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Não conhecia, conheço muito pouco de Alexandre O'Neil.

    Boa semana e bom Setembro.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  5. Apetece-me comentar simplesmente que velhos são os trapos, Carlos

    ResponderEliminar