sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O Jogo da Imitação




O filme é baseado na história de Alan Turing, o homem que liderou a equipa que decifrou o código nazi Enigma, contribuindo decisivamente para a vitória dos aliados.  Durante décadas a acção de Turing e sua equipa foi ocultada. 
Quando em 1952 é acusado de crime contra o pudor, por ser homossexual, nem polícia nem justiça sabiam que estavam a prender e condenar o homem que  coordenara a equipa que derrotou os nazis, salvou  milhões de pessoas da morte e viria a ser mais tarde considerado  o “ pai dos computadores” 
  O juiz dá-lhe a escolher entre a prisão ou um tratamento hormonal e castração química. Turing  opta pelo tratamento e em 1954 é encontrado morto.
Mas “O jogo da imitação” é muito mais do que a vida de Turing, a sua personalidade complexa, por vezes conflituosa, a sua persistência na descoberta de uma máquina que decifrasse o Enigma, apesar da desconfiança de todos os que com ele trabalhavam. É também uma história sobre a injustiça e  o retrato de uma Inglaterra conservadora e preconceituosa que via a homossexualidade como um crime. 
Só em 2009 Gordon Brown viria a pedir desculpas pelo tratamento desumano a que Turing foi sujeito e foi preciso esperar mais quatro anos até que  a rainha lhe concedesse o Perdão Real. Quando pensamos que há 50 anos a homossexualidade era considerada doença e crime na Europa, sentimos um arrepio e depois congratulamo-nos por termos evoluído. Mas não deixaremos de pensar que se no século XXI ainda há povos e culturas  que condenam a homossexualidade, temos todo o direito a criticá-los, mas não a acusá-los de não evoluirem há séculos. Afinal, a diferença é de apenas algumas décadas. 

Com uma interpretação notável, Benedict Cumberbatch é um forte candidato ao Óscar de Melhor Actor. Seria, também, uma forma de prestar homenagem a Alan Turing.  Não só pelo papel desempenhado durante a II Guerra Mundial, mas também por ter sido um pioneiro, com a criação do Colossus, o primeiro computador. 

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Uma oportunidade de negócio para as sex shops


Lembro-me de ser normal lá no Porto, quando era miúdo/adolescente, fazer reservas antecipadas para  ver filmes de sucesso. 
Muitas famílias tinham lugares reservados para todas as estreias ao longo do ano. Lembro-me, por exemplo, de os meus pais  terem reservas no Coliseu e no Rivoli, não sei se em mais alguma sala de cinema.
Entretanto os tempos mudaram e já nos meus tempos de estudante universitário via isso como uma bizarria. Em Lisboa, habituei-me a ir ao cinema sem ter que me preocupar em reservar bilhetes, porque se não tivesse lugar para a sessão que queria, teria para a anterior ou para a seguinte sem garndes problemas.
Vem isto a propósito de uma notícia que hoje li sobre a estreia, no próximo dia 12 de Fevereiro, do filme "As 50 sombras de Grey". 
Dizem os jornais que os bilhetes foram postos à venda no dia 12 de Dezembro e já se venderam 19 mil bilhetes. Os bilhetes para a estreia estão praticamente esgotados nas principais salas onde o filme vai ser exibido, o mesmo acontecendo no dia 14 de Fevereiro, Dia dos Namorados. Quer isto dizer que a noite de S. Valentim promete ser muito animada nas camas portuguesas, apesar de ser noite de Carnaval. 
Não li o livro nem tenciono ver o filme mas, pelo que sobre ele fui lendo e ouvindo, arrisco vaticinar tempos de grande sucesso para as lojas de venda de produtos eróticos, vulgo sex-shops, correndo o risco de se esgotarem as  correntes, algemas e  chicotes.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Those were the days (6)





Jaipur, a cidade cor de rosa (Índia)
Palácio do Vento, andando de elefante e o cortejo  das comunidades

Morte em Atenas

Morreu Demis Roussos. Tinha 68 anos.Não sendo dos meus cantores favoritos, era figura sempre presente nos bailes de garagem. 

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Diálogos da minha terra



- Então como vai, D. Emília?
- Cá vou indo, desnovelando a vida!

( Não posso garantir que a D. Emília, 85 anos cumpridos em Dezembro, se referisse a novelos ou novelas mas a mim, que a conheço há 60 anos, palpita-me que era mesmo ao novelo que ela aludia)

Those were the days (5)


Por estes dias gélidos, muito me tenho lembrado de Ushuaia, a cidade mais meridional do mundo. A foto foi tirada quando lá fui, pela primeira vez, num dia de Janeiro ( pleno Verão no hemisfério sul).
Saíra na véspera de Buenos Aires com 41ºC. Quando cheguei  à Terra do Fogo, ao princípio da tarde,  estava uma aprazível temperatura de 7ºC!
Depois,  à meia noite, dia claro, as ruas estavam bastante animadas apesar de os termómetros marcarem  4 graus. Excelente para um dia de Verão, como pude constatar, anos depois, quando lá passei o Natal.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Uma pergunta ( indiscreta) às mulheres portuguesas

Pergunta às mulheres portuguesas ( e brasileiras, vá lá, porque também passam por aqui algumas)

Como é que vocês se sentiriam se o vosso namorado vos deixasse por terem faltado ao aniversário da Mãe?

a) Arrependida ( porque devia ter sido mais compreensiva)
b) Liberta ( porque estava farta do gajo e agora posso partir para outra)
c) Aliviada (por ter descoberto a tempo o carácter do gajo com quem pensava casar-me)
d) Furiosa ( o tipo fez passar na comunicação social que me tinha deixado por eu não ter ido à festa de aniversário da mãe, mas andava era a por-me os palitos com outra e arranjou um pretexto)

Esclarecimento: Para quem ande distraído, esclareço que esta pergunta surge na sequência do rompimento entre CR e Irina, alegadamente provocado pela ausência da modelo russa na festa de aniversário da D. Dolores. 

3 Corações



Era uma vez...
Três mulheres ( mãe e duas filhas)  que viviam em perfeita harmonia e inquebrantável solidariedade numa cidade francesa de província.
Até que um dia chega à cidade um cobrador de impostos, vindo de Paris, e esfrangalha a família.
Descrito assim, o filme até parece uma pepineira mas, na verdade, é um bom filme. Com o bónus de podermos ver uma Catherine Deneuve  mais gordinha, mas sempre bela, e uma Chiara Mastroianni de uma beleza madura. Sem esquecer Charlotte Gainsbourg que, indelevelmente, nos leva a evocar o pai em "Je t'aime, moi non plus".
Aventurem-se. Talvez não se arrependam.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Those were the days(4)

O meu primeiro Ano Novo Chinês (Macau)
Nos anos seguintes as fotos melhoraram, mas o encantamento não foi tanto.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Às dez tenho encontro marcado

Não sou muito de ficar agarrado a uma série de televisão, mas a semana passada descobri, acidentalmente, uma série dinamarquesa que está a passar na RTP2.
Foi amor à primeira vista. Pela qualidade do argumento e da interpretação, mas também pela verosimilhança com a promiscuidade existente entre política e comunicação social que se passa em Portugal.
Lamento que a série não tenha tido a promoção que indiscutivelmente merece, porque é uma das melhores séries desde "La Piovra" (O Polvo) 
Felizmente estão disponíveis on line os 10 episódios da primeira série e este fim de semana pude ver ( ainda que de forma mais ou menos enviesada) os seis primeiros que tinha perdido.
Hoje, às 22 horas, estreia a segunda série e já tenho encontro marcado na RTP 2
Com falta de tempo para fazer um resumo, aqui fica um link que vos ajudará a perceber o enredo. 

sábado, 17 de janeiro de 2015

A escolha é sua


São 19 fotografias alinhadas aleatoriamente. Cada uma transmite uma mensagem. Subjectiva. Desafio-vos a colocarem uma legenda em cada uma. Ou apenas a observarem e reflectir sobre cada uma delas. Os fins de semana também servem para isso.
Votos de um excelente  FDS