segunda-feira, 9 de março de 2015

Guardado está o bocado...



Nunca perdi, nem me roubaram  um telemóvel. Os que já tive, morreram de morte natural.
Na véspera de Natal, morreu o último. Altura imprópria para falecer, mas paciência... 
No dia 26 fui comprar um novo, com um cheque de 150€ que me tinha sido oferecido pela MEO e que não tencionava utilizar, porque gostava muito do telemóvel que tinha. . 
Eu queria apenas um telemóvel mas, perante a insistência da funcionária que me atendeu acabei por comprar um smartphone. Fiquei, portanto, com um topo de gama à borla.
Não lhe tenho dado grande uso, para além da função que privilegio num telemóvel: fazer telefonemas.
Aos poucos, fui aprendendo a utilizar outras funções e afeiçoando-me ao novo brinquedo
Este fim de semana tinha aprendido a enviar fotos directamente para o FB e para o mail e, pela primeira vez, pensei que afinal era útil ter aquelas funções.
Só que hoje, o smartphone ou i phone, ou lá que treta era aquilo, levou sumiço. Perdido ou roubado? Não sei.
O que sei- e já tinha aprendido há muito- é que coisas que me são oferecidas por empresas duram pouco tempo na minha mão. Ou avariam, ou desaparecem Este não chegou a durar três meses.  Amanhã, lá vou ter de comprar um com o meu dinheiro. 
Por esta hora, alguém estará na posse de um smartphone que me tinha sido oferecido. Caso para dizer que " guardado está o bocado..."
Decididamente, não nasci para ser contemplado  nas facturas da sorte. É por isso que nunca vou ter um Audi topo de gama.


6 comentários:

  1. Aza. A mim também costumam acontecer.

    Boa tarde. :)

    ResponderEliminar
  2. Continuo com o meu velhinho até avariar.
    A minha filha costuma dizer que qualquer dia sou assaltada por um coleccionador:):):) :):):)


    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Eu não encontrei nenhum, pelo que não lhe posso valer mas desejo que o novo brinquedo não saia muito caro :)))
    xx

    ResponderEliminar

  4. Nós somos naturalmente resistentes à mudança... mas depois de termos algo novo em mãos, a satisfação de conseguirmos atingir novas etapas e fazer coisas que dantes não fazíamos, compensa todo o esforço da aprendizagem.

    Também eu me rendi aos encantos de um telemóvel inteligente... mas continuo eu a mandar! LOL

    Boa sorte e deixa lá a chatice da perda. Vão-se os anéis fiquem os dedos... não é?

    Beijinhos
    (^^)

    ResponderEliminar
  5. Eu "herdei" um da minha filha. Já pensei em trocá-lo por um novo, mas vou sempre adiando. :)

    ResponderEliminar