domingo, 22 de março de 2015

Quantas árvores custa um hamburguer?



Hoje assinala-se o Dia Mundial da Árvore e pensei que seria oportuno recordar 

Em 2011, o Bastonário da Ordem dos Médicos defendeu a criação de um imposto especial sobre o fast food. 

A proposta  foi muito criticada, caiu no esquecimento, mas a mim sempre me pareceu boa...

A comida "chatarra", como lhe chamam os hispânicos, não é só prejudicial à saúde, aumentando os riscos de obesidade doentia, como também é responsável pela degradação de recursos naturais.

A população de bois, vacas, vitelos e carneiros, ocupava, há uma década, 24% das terras cultiváveis, exercendo uma forte pressão sobre os recursos naturais. Florestas tropicais da América Central foram transformadas em pastos para animais que são, maioritariamente, consumidos pelos países do hemisfério Norte.

Para além da desflorestação, há ainda que contar com a erosão e desertificação resultantes das culturas intensivas de pastagens e cereais. E se tivermos em consideração que, para produzir 1 quilo de carne de vaca são precisos 20 quilos de cereais, cerca de 20 mil litros de água e a energia equivalente a cinco litros de petróleo, ficamos a perceber melhor que os hamburguers são um excelente negócio para quem os vende, mas péssimo para a Natureza.

Poderia falar ainda sobre o sofrimento dos animais, os perigos para a saúde humana resultante da ingestão de antibióticos com que muitos animais são engordados, etc...mas não quero ser acusado de fundamentalista.

Assim, lembro apenas que, de acordo com dados divulgados há tempos pela Consumers International, se cada americano reduzisse em 10 por cento o consumo de carne, seriam economizados cereais suficientes para alimentar anualmente 60 milhões de pessoas que sofrem com a fome...

E a verdade é que as consequências para a saúde do consumo excessivo de "fast food" - símbolo da cultura moderna que não inclui apenas os hamburguers- tem sido alvo de avisos de organizações credíveis como a OMS.

4 comentários:

  1. Tenho debatido precisamente essa questão, mas generalizada à carne e não apenas aos hamburguers, amigo carlos ! Quantas vezes tenho argumentado isso mesmo e claro, sempre com forte oposição !
    As pessoas em geral não calculam o mal que estamos a fazer ao ambiente com o consumo da carne ! :((
    Pela minha parte, já reduzi drasticamente o consumo até quase ao vegetarianismo, sem radicalismos ! O importante é começar por reduzir até à eliminação, numa fase seguinte.. Entende-se erradamente que o organismo não pode passar sem carne, o que é um enorme engano ! Não pode é passar sem proteínas e essas não faltam em muitos outros tipos de produtos alimentares !

    ResponderEliminar
  2. Excelente e instrutivo post. Um alerta!

    Consumo mais peixe que carne e desta opto por carne de aves.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Como hamburguers mais ou menos uma vez por semana, mas sem ser fast: feitos em casa, mesmo. Mas confesso que como mais carne do que peixe, de um modo geral, porque todos apreciamos mais... :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Já fui muito mais carnívoro.
    Hoje em dia como muito mais peixe que carne.
    E hambúrgueres, com toda a franqueza, passo!

    ResponderEliminar