segunda-feira, 13 de abril de 2015

Gunther Grass

Gunther Grass ( 1927- 2015)


Na rubrica “Grandes Autores” que durante algum tempo alimentei no CR, inclui  Gunther Grass, um autor que descobri tardiamente, mas de que rapidamente me tornei fã. 
Não fui o único a descobrir Grass tardiamente. Na caixa de comentários do post, a maioria dos comentadores confessava nunca ter lido nada dele. 
Hoje, no dia da sua morte, reedito o post com ligeiras adaptações e aconselho desde já os meus leitores a visitarem a sua obra que tem títulos fantásticos..
Descobri  Gunter Grass quando estava em Macau (a oferta da Livraria Portuguesa  era pouco  variada nos primeiros tempos e  Grass foi -me aconselhado por uma amiga que lera  "O Tambor de Lata"). Gostei e logo de seguida empenhei todos os meus esforços para encontrar " O Gato e o Rato", o segundo livro da triologia deste escritor alemão, nascido em Danzig ( hoje Gdanks na Polónia)
 Já depois de Grass ter recebido o Prémio Nobel, em 1999,  comprei  o terceiro livro ( "O cão de Hitler")- que nunca cheguei a ler.
Quando  após a publicação de "Descascando a Cebola"  Gunter Grass revelou a sua ligação  às SS  disse que nunca mais leria nada dele  mas, felizmente,  percebi a minha estupidez e não cumpri a palavra. Tive  assim a oportunidade de ler no Verão passado (2012)  "O  Pregado". Passou a ser um dos 50 livros da minha vida. 
O livro é uma viagem fantástica entre o Neolítico e o final dos anos 70 do século passado e tem um Pregado como protagonista ( Não confundir com o nosso cherne, por favor). Para além de nos dar uma visão algo romântica da história alemã, associada à mitologia , em " O Pregado" Grass reflecte sobre o feminismo e o papel de Homem e Mulher na sociedade. Um verdadeiro tratado.

3 comentários:

  1. APANHEI UM CHOQUE AO SABER DA SUA MORTE, apesar dos seus 87 anos.

    ResponderEliminar
  2. Günter Grass é um nome incontornável da literatura alemã. A sua curta ligação às Waffen-SS é uma fatalidade, um engano do jovem Günter. Uma decisão que se tornou mais tarde um pesadelo para o adulto Günter. No meu blogue, conto uma história que, embora distinta, narra o peso da existência quando a nossa história se entrelaça com a História.
    http://notasdecha.blogspot.pt/2015/03/uma-vida-contrafeita.html

    ResponderEliminar
  3. :(

    Paz à sua alma e o mundo vai ficando mais pobre....

    ResponderEliminar