terça-feira, 28 de abril de 2015

Reflexões à volta da(s) sogra(s)

Comemora-se hoje, pelo menos no Brasil, o Dia da Sogra.  Dizer mal da sogra é coisa que pertence ao passado. Hoje em dia, por mais megera que seja, é politicamente correcto dizer que “a nossa” é a melhor sogra do mundo. Provavelmente terá sido esta mudança de paradigma que levou os brasileiros à criação do Dia da Sogra 
Devo confessar-vos que sou pouco versado em  matéria de sogras. A minha especialidade é mesmo a língua delas. Vá lá, não comecem já a pensar em coisas  esquisitas.  Quando me refiro à língua da sogra, menciono este saboroso produto que se vê na imagem.


Não havia miúdo, entre as praias de Leça e Espinho, que não abandonasse a brincadeira e corresse para junto da mãe a salivar, assim que ouvia o pregão  "Olhá boa língua da sogra!"
“Vem aí o homem da língua da sogra! Compra-me uma, mãe!” 
 Lembram-se? Era assim:
O "homem da língua da sogra" começava a anunciar-se com o seu pregão  nas imediações da piscina e, quando chegava à Praia dos Beijinhos,  já todos estávamos expectantes. Assim que pousava "a roleta" formávamos em fila, para a rodar. O número em que parasse determinava o número de línguas que recebíamos.
Sempre fui um azarado. Creio que o máximo que consegui receber terão sido 5. Não foi, porém, o meu azar ao jogo que determinou a inexistência de sogras de "papel passado"na minha vida.  O meu irmão mais novo - que frequentemente arrebatava 25, ou mesmo 50 - morreu aos 40 anos, celibatário e sem ter conhecido sogra.
Mas adiante...
Eu sei que também há quem chame a este ruidoso instrumento  "língua da sogra".

Até me conhecer, a  Baixinha era uma dessas pessoas...
Com toda a bonomia e paciência que me caracterizam ( cof, cof, cof) lá  lhe  expliquei que Língua da Sogra é o produto alimentar que se vê lá em cima e a que alguns também chamam barquilhos. 
Desejo a todas as sogras que me visitam um dia feliz, transmissível a todas as sogras vossas amigas.
E, como hoje também se assinala o Dia Mundial do Sorriso, deixo o meu melhor sorriso à minha sogra.


10 comentários:

  1. Coitada da filha da sogra :)

    Amigo, tudo de bom

    ResponderEliminar
  2. Coitada da filha da sogra :)

    Amigo, tudo de bom

    ResponderEliminar
  3. Não tenho nem sou sogra!!!
    Das línguas da sogra, gosto imenso. Sou como as crianças!!!

    Pelo sorriso que publicaste vê-se que não tens sogra!!!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Um sorriso capaz de assustar qualquer sogra! ahaha.

    ResponderEliminar
  5. Você é incorrgivel,Carlos me faz rir desse sorriso que nenhuma sogra merece! kkkk
    sabe , eu sou chamada de 'sogrinha' e falo isso de propósito porque sei que não gosta dos 'inhos' hehehe
    Também nunca fui chegada a sogras,mas tive algumas ... rs a gente nunca escapa...
    abraços abraços

    ResponderEliminar
  6. Não me posso queixar da minha sogra.
    Bem pelo contrário.

    Em Coimbra (Figueira) não se vendia a língua de sogra na praia.
    Era a bolacha americana.
    Uma delícia!!

    ResponderEliminar
  7. ehehheheh belo sorriso!!!
    Por acaso tive sorte nas 2 que me calharam!!
    São amigas até hoje, mesmo depois de deixarem de o ser....
    Nada como uma bela lingua da sogra na praia ;)
    Beijinhos Carlos

    ResponderEliminar
  8. Carlos, que "sorrisinho" envenenado para as sogras :)

    ResponderEliminar
  9. Nunca casei, mas tive uma maravilhosa "sogra" há uns anos atrás de quem tenho muitas saudades.
    Nas areias da Figueira, estas "línguas de sogra" eram chamados de "barquilhos"...ou bolacha americana,,,

    ResponderEliminar