quarta-feira, 20 de maio de 2015

Happy Birthday





Meio século de vida só se comemora uma vez, por isso ele quis preparar uma grande festa, para lhe agradecer os 28 anos de casamento e os dois filhos maravilhosos que lhe dera e estavam prestes a iniciar-se no mundo do trabalho.Ela recusou. Aceitava apenas um jantar íntimo. A dois. Pediu-lhe que escolhesse o restaurante.
Levou-a a um restaurante 10 estrelas Michelin incluídas, refúgio do jet set quando quer ser “incomodado” pela imprensa cor de rosa.Durante o jantar recordaram os 28 anos de casamento. Ela respondia com um sorriso forçado aos episódios que ele recordava com enlevo.
No final do jantar ela disse que lhe apetecia ir dançar. Foram ao Vangogo, onde se tinham conhecido, 30 anos antes. Ao fim do terceiro whiskey ela ganhou coragem e disse-lhe:
- Quero divorciar-me!
Ele ficou sem pinta de sangue e apenas balbuciou um entaramelado “ mas porquê?”.
-Já não te amo. Temos os filhos criados, chegou o momento de cada um de nós ir à sua vida e ser feliz.
- Tens outro?
- Não, não tenho outro. Apenas estou apaixonada por outro, mas não temos nenhum caso. Creio que ele tem medo de ti...
- Medo porquê? Posso saber quem é?
- É um amigo do nosso filho Miguel, mas não te vou dizer quem é por enquanto.
- Estás louca?
- Não, estou só apaixonada.
Acabaram de beber à pressa. Regressaram a Lisboa em silêncio.Dez minutos depois de chegarem a casa ele perguntou:
- A tua decisão é irreversível?
-É…
- Está bem... vou sair.
Já dentro do carro telefonou à amante de quase uma década.
-Marta, posso ir aí?
-Claro! Mas não estavas a comemorar os 50 anos da tua mulher?
- Estava,mas já acabou.
Quando chegou a casa da amante contou-lhe o que se tinha passado.
- Agora já posso vir viver contigo, meu amor!
-Viver comigo? Não deves estar bom da cabeça, Alfredo! Achas-me com cara de samaritana para aturar um gajo com dor de corno dia e noite?

(Reeditado)

16 comentários:

  1. Um texto muito bom, com um final surpreendente... ou talvez não :) Uma excelente caricatura do chamado "sexo mais forte" :)

    ResponderEliminar
  2. Lembro-me desta cena de um casamento falhado, mas não me lembra do meu comentário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :-))

      Teresa, como tenho boa memória lembro-me que escreveste isto:


      ematejoca sexta-feira, 20 maio, 2011

      Antigamente eram os homens entrados na idade, que abandonavam as esposas por causa de jovens ainda mais novas do que as filhas.

      No século XXI é a nossa vez de fazer o mesmo, por isso nem compreendo este A-do-rei!!!!!!!

      Mas foi no CR....Curiosamente, faz hoje precisamente 4 anos!! ;))

      Um abraço, amiga de longe!

      Janita

      Eliminar
    2. Muito obrigada, querida Janita!

      Entretanto, pensei que tem de ser um casal muito entrado na idade, quando festejam 50 anos de casados.

      Aqui a crise dos casais costuma ser, quando fazem 25 anos de casados.

      Eliminar
    3. Ó Teresa!
      Ai que cabecinha...
      Não são 50 anos de casados, a senhora é que fazia 50 anos. O casamento durava há 28, como esclareço logo no início do texto.
      Bom FDS

      Eliminar
    4. Ando tão taralhoca, Carlos, acho que ando a perder neurónios.

      Nesse caso confirmo o meu comentário:
      No século XXI é a nossa vez de abandonar os maridos por causa de jovens ainda mais novos do que os filhos.
      Embora eu nunca trocasse o meu marido por um amigo do meu filho, acho que as mulheres podem fazer o mesmo que os homens.

      Desejo-lhe um fabuloso fim de semana, sem problemas amorosos.

      Eliminar
  3. Triângulos amorosos e finais in(felizes)...ou não!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Uua, adorei o texto! Em especial o final, que acredito que seja uma realidade para muito boa gente eheh :) Sou a nova seguidora, beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Não me lembro se cheguei a ler a primeira publicação, mas não admira porque a minha memória vai de mal a pior. Agora, quando cheguei à pergunta do "irreversível" que, sei lá por que diabo de formatação, associei a "irrevogável", ainda pensei que ela voltasse atrás, como outros fazem... :)
    Eu sei. Sou uma romântica. :)))

    ResponderEliminar
  6. É caso para dizer: afinal, havia outra!

    Beijinhos, Carlos. :)

    ResponderEliminar
  7. Resta-lhe festejar com a Marta a década que se aproxima.

    Beijinho Carlos

    ResponderEliminar
  8. Carlos,
    Por aqui diz-se que é dos casados e bem postos na vida que elas gostam mais.
    Têm mulher e filhos para os aturar, é a justificação.
    O Carlos escreveu este post em Macau????? :))))

    ResponderEliminar
  9. Eu lembro-me desta história...
    É preciso haver alguém que avance para sair da "Paz Podre" em que tantos casais vivem!
    Nesta triste história acho que qualquer um deles podia ter decidido sair....
    "crónica de uma morte anunciada" :)
    xx

    ResponderEliminar