domingo, 12 de julho de 2015

Deixa lá. miúda...

Salvatore Adamo foi, com Françoise Hardy,  um dos mais prolixos cantores franceses dos anos 60. Não havia baile de quermesse onde os seus sucessos não fossem repetidamente tocados até à exaustão. Ele há-de passar por aqui com o seu grande sucesso (La Nuit) mas hoje fica esta que também foi um grande sucesso.

11 comentários:

  1. Quando ele veio a Portugal, a minha irmã mais velha ficou tristíssima por não poder ir vê-lo. Houve quem abrisse a blusa para ele autografar o peito, o que, à época e neste país, era obra!

    Boa tarde, Carlos. :)

    ResponderEliminar
  2. Agora olho para estas carinhas larocas e - apesar de continuar a gostar das canções - só me fazem lembrar as pirosices do Tony Carreira...de má memória!! :)

    O Adamo está muito melhor agora...mais charmoso e super sexy!

    Ora vejam lá, meninas: https://www.youtube.com/watch?v=uVDrqfEqaSg

    Não leve a mal, Carlos, mas prefiro Tombe La Neige a La Nuit .

    Janita


    ( Deixa lá, miúda...porquê? Ela não foi pro- lixo...lol )

    Quando vier, avise que é para eu lhe desamparar a loja!


    ResponderEliminar
  3. Estava a ver que te esquecias dele!!!

    Desde o Tombe La Neige, à eterna La Nuit. Gosto de todas que Adamo canta...mesmo das menos tocadas...Mes mais sur tes hanches, Une mèche de cheveux,En blue jeans et blouson d'cuir.....

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. O Carlos acusou aqui as pirosices do Tony Carreira.

    Só que o nosso Tony Carreira é a versão portuguesa do Adamo.

    Grande sucesso, não significa grande qualidade, Carlos.

    ResponderEliminar
  5. É mais uma que não conheço! Talvez porque eu era ainda criança da escola primaria.

    Um beijinho Carlos

    ResponderEliminar
  6. É mais uma que não conheço! Talvez porque eu era ainda criança da escola primaria.

    Um beijinho Carlos

    ResponderEliminar
  7. Carlos excelente, muito bom mesmo, recordar estes êxitos !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo, Ricardo: o Carlos ao recordar estes êxitos, proporciona alegria a muito boa gente.

      Eliminar
  8. Pois é, amigo Carlos!
    Adamo até podia ser o Tony Carreira da época, mas o público dum não seria necessariamente o público do outro. Adamo foi alguém que marcou uma geração de gente jovem. Tony agrada a gregos e a troianos, o que não é mau, mas a profundidade e a poesia de Adamo são de longe bem melhores que a do Tony. No meu tempo, Adamo era o ídolo da duma juventude que simultâneamente gostava de música italiana, francesa, brasileira e anglo-saxónica, o que não se passa agora. Eu sou suspeito, pois Adamo foi uma das minhas paixões e vim a descobrir que é uma pessoa com uma cultura acima da média. Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Kim!

      É bom ver-te por aqui e a defender o ADAMO com unhas e dentes.

      Eu não tenho paixão, nem pelo Tony Carreira nem pelo ADAMO.

      Abraço de amizade da Teresa

      Eliminar