sexta-feira, 21 de abril de 2017

Era uma vez em Vidago

Bem vindos ao Vidago Palace Hotel



É neste cenário deslumbrante



Que decorre a série Vidago Palace


Em exibição na RTP 1 nas noites de quinta feira


A série decorre  decorre durante a Guerra Civil de Espanha


Os protagonistas vivem um amor proibido


E tem demasiados ingredientes de telenovela


Para o meu gosto 


Tem no entanto duas  vantagens



Fez-me recuar aos anos 50 e princípio de 60 quando lá passava uns dias em Setembro 


E confirmar que naquela época 20 anos não faziam muita diferença


Por outro lado recuperei as emoções que lá vivi há dois anos


Quando passei lá uns dias  para  ver as remodelações


Continua a ser um dos mais belos hotéis portugueses



                               ~



Como podem confirmar pelas fotos que então tirei e hoje decidi partilhar convosco





É certo que a piscina perdeu o glamour de outrora mas o SPA, com  jacuzzi, assim como "os banhos", são muito agradáveis. 

E até os camaleões posam para a fotografia

12 comentários:

  1. O meu tio materno fazia todos anos aqui férias, mas sempre sem a mulher, daí, eu associar Vidago e o seu hotel a qualquer coisa de misterioso e proibido.

    Gostei muito das fotografias e em especial dos camaleões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E verdade, Teresa. Se vir a série, talvez perceba a razão de tal mistério. Eu era demasiado miúdo para me aperceber mas, mais tarde, o meu pai esclareceu-me sobre o que se passava por lá nos anos 30. Foi por causa dos alemães nazis que por lá paravam para fazer negócios, enquanto apoiavam Franco e colaboravam com a PIDE, que o meu pai odiava a Alemanha e não gostava nada da amizade que anos mais tarde eu tive com a Petra.

      Eliminar
    2. O meu tio nunca se interessou por política, o seu ponto fraco eram as mulheres. E nos anos 60 já os nazis estavam todos na América do Sul.

      O meu avô paterno também odiava os alemães, enquanto que o meu pai tinha uma grande admiração pelo país dos poetas e filosofos. Eu herdei do meu pai os olhos castanhos e a paixão pela física e pela ALEMANHA.

      O Carlos, embora seja um grande amigo da Petra, também não gosta da Alemanha, daí estarmos sempre como o cão e o gato.

      Quanto à série, só se comprar o DVD em Portugal.

      Beijinhos da amiga "tuga".

      Eliminar
    3. Está enganada, Teresa. Eu até gosto muito da Alemanha e, na generalidade, gosto dos alemães. Para lhe demonstrar vou revelar-lhe um segredo que só ia divulgar no domingo no CR.
      Como sabe, desde que foi diagnosticada a minha doença. há quase dois anos, nunca mais saí do país. No próximo domingo vou finalmente poder voltar a fazê-lo. E sabe para onde eu vou? Para a Alemanha. Mais propriamente para Berlim e Hamburgo ( talvez dê um salto até Leipzig e Dresden). É verdade que não morro de amores pelos alemães, cuja mania de superioridade moral me irrita, mas não raras vezes gosto de conviver com eles. Surpresa, hem?

      Eliminar
  2. Na série e nestas fotos, parece de facto magnífico. Não conheço pessoalmente. Quanto ao camaleão, acho que não é um camaleão. Parece-me sim, um lagarto e é muito vistoso. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo um camaleão, luísa. Eu vi-o a mudar de cor :-)

      Eliminar
  3. O advogado que foi meu patrono e depois meu associado, que abusava em tudo, todos os anos passava aí uma quinzena.
    A ideia era desintoxicar.
    Mas acho que nunca resultava lá muito bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu tio também dizia que a ideia era desintoxicar. Ele era um homem que não bebia, não fumava e só comia cozidos e grelhados, no entanto, morreu cedo.

      Diabo, este hotel trouxe-me tantas recordações.

      Eliminar
  4. Imagens excelentes. Gostei imenso.

    Beijinho Carlos e um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  5. :)) Quem sabe se nos chegamos a cruzar por lá, nesses velhos tempos, Carlos ?? ... Ia lá com alguma frequência, mas nunca depois da remodelação !
    Creio que teria ficado bem melhor !
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ia sempre em Setembro com os meus pais, Rui. Quando tiver oportunidade, não deixe de ir lá, porque a recuperação foi muito boa e, para quem conhecia o hotel dos anos 50 e 60, é uma boa surpresa.
      Abraço

      Eliminar